Prefeitura implanta coleta seletiva de lixo na Saúde

Por - em 64

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) implantou na sede da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) a coleta seletiva nesta quarta-feira (10), com o lançamento do projeto ‘Santo de casa faz milagre – Na Saúde Lixo é Luxo’, coordenado pela Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) em parceria com a SMS e o Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba (Cefet-PB). No próximo dia 18, uma palestra no auditório da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes vai discutir a ampliação da coleta seletiva nos hospitais, unidades de saúde e centros de atendimento municipais.

O projeto foi lançado com a apresentação da equipe de teatro da Emlur e do grupo de percussão ‘Baticumlata’. Os servidores da saúde e de outros órgãos municipais receberam informações da coordenadora do Departamento de Valorização e Recuperação de Resíduos (Devar) da Emlur, Elma Xavier, sobre os problemas provocados pelo lixo e os benefícios da separação correta dos resíduos produzidos no local de trabalho. Socorro Alencar, chefe do Setor de Almoxarifado e coordenadora do projeto na Saúde, convocou todos os servidores a colaborarem na separação correta do lixo. “O que aparentemente não serve para uns, para outros serve como fonte de transformação e de renda”, ressaltou.

A educadora Elma Xavier afirmou que o projeto ‘Santo de casa faz milagre’ foi implantado em abril de 2007 na Emlur, sendo legitimado no mês de julho por uma Lei Municipal que estabeleceu que a coleta seletiva fosse implantada em todas as secretarias e autarquias municipais. Elma destacou que atualmente todas as secretarias e autarquias municipais fazem a coleta seletiva graças à estruturação com a instalação dos coletores e o curso de multiplicadores que demonstram os benefícios da coleta seletiva e como cada funcionário pode colaborar separando o lixo corretamente. “A partir de agora todos devem colaborar para legitimar e concretizar o projeto na saúde. O meio ambiente agradece”, ressaltou.

Óleo vira sabão – A coordenadora do Projeto Soluz, Claudiana Leal, falou sobre a implantação da reciclagem de resíduos no Cefet e do projeto desenvolvido por alunos da instituição, que transforma resto de óleo de cozinha em tabletes de sabão. Ela lembrou que desde o primeiro dia de aula os alunos do Cefet são educados a separar o lixo corretamente. “O resultado é tão positivo que atualmente reaproveitamos papel, plástico, alumínio, óleo de cozinha e até comida para a produção de estrume”, explicou.

Servidores beneficiados – Já Márcia Rique, diretora de Atenção à Saúde do município, ressaltou que a coleta seletiva também irá beneficiar os servidores do setor de limpeza que já repassavam os materiais recicláveis para empresas de reciclagem, mas agora com a colaboração de todos irão coletar um volume e conseqüentemente terão uma maior renda. Ele adiantou que a SMS também irá firmar parceria com o Cefet com a realização de cursos de transformação de óleo de cozinha para a fabricação de sabão.

“Essa é um experiência que deu certo no Cefet e dará certo na Saúde. Já temos, inclusive, servidores da própria Secretaria – como é o caso da funcionária Júlia Farias – que aprenderam a transformar óleo de cozinha em sabão no Cefet e estão comercializando o produto”, explicou Márcia.