Prefeitura intensifica ações de combate à dengue, no Centro da cidade

Por - em 59

A Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), intensificou nesta sexta-feira (4) as ações educativas e de controle do mosquito da dengue no Centro de João Pessoa. Somente na ação foram disponibilizados cerca de 60 agentes, que realizaram batidas de foco em residências, edifícios, estabelecimentos comerciais, além de utilização do termonebulizadores para eliminar o inseto em bocas-de-lobo e pontos críticos. O trabalho no Centro da cidade continua nestas segunda (7) e terça-feira (8), abrangendo o Distrito Mecânico e o bairro do Varadouro.

No Ponto de Cem Réis foram armadas tendas para apresentação de exposição com amostras do Aedes aegypti na fase de ovo, larva e adulta e os equipamentos de controle, exibição de vídeo educativo e material educativo de como a própria população pode prevenir a proliferação do mosquito. A atividade foi realizada conjuntamente pelas secretarias Municipal e Estadual de Saúde (SES) e de municípios da região metropolitana, mais o Serviço Social da Indústria (Sesi).

O aposentado José Maria Nascimento, que já teve dengue, afirmou que na exposição conheceu de perto o mosquito e que não vai mais deixar água parada no quintal ou na calha da casa. “È uma doença que derruba qualquer pessoa com febre, dor de cabeça e fraqueza no corpo. É preciso prevenir”, contou.

A equipe que atua em áreas de difícil acesso também eliminou focos do mosquito da dengue nas bromélias do Parque Solon de Lucena, que acumulam água e se tornam criadouros do mosquito. Outras equipes também realizaram batidas de foco no Mercado Central e demais mercados da Torre, Valentina, Mangabeira, Cruz das Armas.

Focos – De acordo com o gerente da Seção de Vetores da SMS, Nilton Guedes, foram encontrados focos do mosquito em edifícios comerciais, órgãos e mercados públicos. Ele explicou que depois de um período de estiagem longo, as chuvas registradas nas últimas semanas tornam o ambiente favorável a proliferação do mosquito. “É importante que o Aedes aegypti seja eliminado na sua fase de ovo ou larva, que dura em média 7 dias, com medidas simples como esvaziar a água diariamente já que o mosquito não consegue eclodir fora da água. A eliminação do mosquito na fase adulta é bem mais difícil, já que o inseticida do carro fumacê não pode ser utilizado de forma indiscriminada no meio ambiente”, explicou.

População parceira – A diretora de Vigilância em Saúde municipal, Júlia Vaz, explicou que o trabalho de controle do mosquito tem sido intenso desde o ano passado e a população deve continuar alerta com medidas simples como não deixar água parada nos quintais, manter as calhas limpas e manter os sacos e tonéis de lixo bem tampados.

De janeiro até esta sexta-feira (4) foram registrados 38 casos de dengue clássica, um deles com complicações e um suspeito de dengue hemorrágica em João Pessoa. Júlia Vaz explicou o fato de João Pessoa ter sido inserida entre as dez Capitais com risco de epidemia se deu porque nos últimos anos registrarem alto pico de casos da doença. “Este ano o Índice de Infestação Predial em João Pessoa é de 0,7%, quando o recomendado pelo Ministério da Saúde é de 1%. A população deve se manter alerta para que não tenhamos uma epidemia como ocorre no Rio de Janeiro”, alertou Júlia.