Prefeitura intensifica campanha contra o câncer de mama e de colo de útero

Por - em 32

A Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está intensificando as atividades educativas e preventivas nas Unidades de Saúde da Família sobre câncer de colo do útero e patologias da mama. Esta ação faz parte da campanha ‘Cidadania Ativa para as Mulheres’. Nas unidades serão realizadas, até o final do mês, uma ampla programação com palestras relacionadas à saúde da mulher, atividades recreativas, oficinas sobre alimentação alternativas, exibição de peças teatrais e vídeos.

Todas as 180 equipes da saúde da família estão preparadas para a coleta do exame citológico de prevenção de câncer de colo uterino e detecção precoce do câncer de mama.

A coordenadora da área de saúde da mulher, Ana de Lourdes Alexandria, afirmou que desde 2006 os médicos e enfermeiras foram qualificados para a realização do exame do colo do útero que deve ser feito anualmente, a partir do início da vida sexual da mulher.

“O câncer do colo do útero é uma doença perigosa, mas se for descoberta no início pode ser tratado e curado. Mas o melhor mesmo é prevenir a doença com o uso da camisinha, que evita a infecção do HPV, principal causador do câncer no colo do útero”, explicou.

Ela informou que para se submeter ao exame preventivo do câncer do colo do útero é necessário que a mulher não no seu ciclo menstrual, não mantenha relações sexuais na véspera do exame e não esteja usando medicação vaginal nas 48 horas anteriores ao procedimento.

Dentro da programação ‘Cidadania Ativa para as Mulheres’, a Secretaria de Saúde também vai realizar atividades educativas e exames preventivos em tendas armadas no Anel Interno da Lagoa. Cada secretaria municipal está responsável por uma ação específica.

No local haverá testes de glicemia capilar (diabetes) e hipertensão, vacinação contra sarampo e rubéola (para as mulheres em estado fértil), distribuição de preservativos, divulgação dos serviços de citologia, atividades preventivas de doenças sexualmente transmissíveis com a apresentação da peça “Dona Dora”, do grupo Amazona.