Prefeitura investe em ações de segurança alimentar na Capital

Por - em 22

A Prefeitura Municipal de João Pessoa deu início nesta terça-feira (22) ao 1º Curso de Formação do Programa Cozinhas Comunitárias, que irá formar profissionais para atuar em cinco bairros da cidade. A iniciativa, desenvolvida pelo município através da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) propõe fornecer a preços acessíveis refeições saudáveis às camadas da população que estejam em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar. A estimativa é que sejam fornecidas 200 refeições por dia nas cinco cozinhas comunitárias do município. Os investimentos totais são da ordem de R$ 1 milhão.

“Com esta iniciativa, de formação de uma primeira turma para as cozinhas comunitárias, estamos dando mais um passo para revigorar a política municipal de desenvolvimento social do município. Esta é uma decisão concreta de um plano maior em contribuir para diminuir essa tragédia social que ainda é a falta de acesso por parte da população a uma alimentação saudável”, disse o prefeito.

Durante a abertura do curso, que aconteceu no Auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), o prefeito Luciano Agra também confirmou que irá se empenhar junto à Câmara Municipal para agilizar a aprovação do projeto de lei que cria o Sistema Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional.

As cozinhas comunitárias do município serão implantadas nos bairros dos Novais, Gervásio Maia, Bela Vista, Timbó e Taipa. Estão previstas dentro do Sistema Nacional de Segurança Alimentar (Sisan) e atuam de maneira integrada junto a outros projetos como o Banco de Alimentos e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Também devem promover ações de Educação Alimentar e Nutricional (EAN).

“Estamos hoje consolidando a nossa política pública de pensar a segurança alimentar e nutricional em nossa cidade”, ressaltou a secretária de Desenvolvimento Social da PMJP, Marinalva Conserva, lembrando que do total de investimentos para o programa, a PMJP está garantido R$ 400 mil em recursos próprios, e o governo federal outros R$ 600 mil.

Participarão deste primeiro Curso de Formação cerca de 100 pessoas, entre educadores, cozinheiros e auxiliares de cozinha, nutricionistas, auxiliares de serviços gerais, vigilantes, recepcionistas e lideranças comunitárias. “Escolhi participar porque essa é uma ótima área de trabalho: nutrição e alimentação. Além disso, estaremos contribuindo para ajudar a essas comunidades”, disse o vigilante Jonas Henrique, integrante da primeira turma.

A abertura oficial do curso, que segue até o dia 3 de março, teve a participação de secretários municipais, técnicos da Sedes, da Secretaria Municipal de Saúde, e também representantes da Universidade Federal da Paraíba. A instituição irá atuar como parceria no projeto, garantindo a participação de educadores, além de instalações e equipamentos da própria universidade.