Prefeitura investe R$ 1,5 milhão em brinquedos educativos para utilização em escolas e creches

Por Alexandre Quintans - em 395

O ato de brincar ajuda a criança a desenvolver habilidades no campo social, emocional e cognitivo, além de facilitar a expressão dos sentimentos. E para valorizar a importância desse ato de brincar na construção do conhecimento a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), vai entregar nesta quarta-feira (11), às 7h, no Centro de Referência de Educação Infantil (Crei) Márcia Suênia, em Mangabeira VIII, brinquedos e jogos infantis educativos para serem utilizados pelas crianças nos Creis e escolas do município.

A entrega simbólica faz parte das ações da PMJP para celebrar o Dia das Crianças e será realizada também em todas as escolas e Creis municipais. O investimento de R$ 1,5 milhão vai atender aproximadamente 13 mil crianças matriculadas na educação infantil.

Os brinquedos, que foram selecionados pela coordenação de Educação Infantil, têm o objetivo de proporcionar a criança momentos de alegria, prazer e interação, favorecendo os aspectos cognitivo e psíquico social da criança, garantindo um desenvolvimento saudável e ampliando o leque de atividades, durante o período em que as crianças estão na unidades de educação da PMJP.

Importância – O brinquedo proporciona a criança experimentar, descobrir, inventar, aprender e conferir habilidades, além de estimular a autoestima, curiosidade, autoconfiança, desenvolvimento da linguagem, autonomia, o pensamento, concentração e atenção.

“Brincar é indispensável à saúde física, emocional e intelectual da criança, portanto essa ação da atual gestão municipal irá contribuir, no futuro para a eficiência e o equilíbrio do adulto”, disse a coordenadora da Educação Infantil, Francineide Ribeiro.

Ela explicou também que a criança mergulha na brincadeira exercitando suas emoções e capacidade de criatividade. “Nesse sentido serão cultivadas a afetividade e a socialização, pois sem o brincar, a criança não vive sua infância. É a aprendizagem pelo sentir, e não para obter determinado resultado ou para possuir alguma coisa”.