Prefeitura lança campanha contra a exploração do trabalho infantil

Por - em 24

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por sua Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), lança nesta quarta-feira (2), durante um café da manhã para a imprensa, Campanha contra a exploração do trabalho infantil, cujo tema é ‘Crianças e adolescentes nas ruas, o que você tem a ver com isso?’. O evento acontecerá a partir das 8h30, no Marinas Praia Hotel.

O secretário de Desenvolvimento Social (Sedes), Alexandre Urquiza, explica que a campanha tem como objetivo alertar as pessoas que muitas vezes acreditam que estão ajudando crianças e adolescentes que pedem algum dinheiro ou realizam algum tipo de trabalho na rua, como malabares ou limpar pára-brisas de carros. “Sem querer, elas estão estimulando a continuidade desta prática”, disse.

“Ela os incentiva a continuarem nas ruas, os excluem da convivência familiar e torna-os mais vulneráveis à pratica de pequenos delitos e consumo de drogas. Também impede que eles estudem, brinquem e desenvolvam atividades saudáveis”, acrescentou o secretário.

Outro problema grave que a Campanha pretende levantar é a discussão sobre a presença de adultos explorando o trabalho dessas crianças e adolescentes.

Ação – Peças publicitárias vão levar orientações sobre como a população pode ajudar a minimizar e combater o problema. “Em vez de dar dinheiro, elas podem contribuir doando qualquer quantia para o Fundo de Defesa da Criança e Adolescente (Fundec), fazendo um depósito no Banco do Brasil (Conta: 20095-6/ Agência: 1618-7), que serão deduzidas no Imposto de Renda a pagar, 6% no caso de pessoas físicas e 1% no caso de pessoas jurídicas”.

O Fundec financia projetos e programas previamente aprovados pelo Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente, destinados a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, que resultem em mudanças concretas na vida deste público e de seus familiares.

Investimentos – Através da Sedes, a Prefeitura tem investido em ações sócio-educativas de apoio às crianças e adolescentes que vivem em situação de rua, objetivando a sua inclusão social, como o Ruartes, Centro de Formação Margarida Pereira da Silva, Casas de Acolhida, Casa de Passagem e Casas Lares Manaíra e Morada do Betinho. Só no Fundec, foram investidos mais de 600 mil reais em pouco mais de três anos. Grande parte dessas ações recebe com recursos próprios.