Prefeitura mantém combate preventivo a focos de dengue

Por - em 26

O trabalho de combate e controle dos focos de dengue na Capital é constante por parte da Prefeitura de João Pessoa (PMJP). Como parte dessa atividade permanente, agentes da Gerência de Vigilância Ambiental (GVS) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e fiscais da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) inspecionaram nesta segunda-feira (9) lojas no Centro, para prevenir a doença e outros possíveis vetores, como a leptospirose. A grande quantidade de ovos capturados nas armadilhas da área motivou a ação. Donos de lojas foram orientados a limpar os quintais e os agentes colocaram inseticida e utilizaram o fumacê.

De acordo com a gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses, Djanira Lucena, as armadilhas colocadas na cidade acusaram que a região do Centro estava com um alto índice de infestação. “A cada três quarteirões nós colocamos uma armadilha. Às vezes, encontramos apenas um ovo, às vezes não encontramos nada. Nesta área da cidade encontramos mais de 900 ovos. Esses ovos se tornam larvas em sete dias, que viram mosquitos e depois têm 35 dias para infectar as pessoas”, explicou.

Durante a visita desta segunda-feira foi verificado que este alto índice de infestação é devido à grande quantidade de entulho colocado nos quintais das lojas que ficam na Rua da República. “Quase todas as lojas dessa rua têm quintais mal cuidados e esse entulho, além formar um ambiente propício para a proliferação da dengue, também se torna propício para outros vetores, como a leptospirose e dificulta o trabalho dos agentes”, disse.

Djanira esclareceu que com o estado de abandono em que os quintais se encontram, não é possível fazer um trabalho totalmente eficiente. “Colocamos o inseticida, fazemos uso do fumacê, mas com a acumulação de objetos e de mato é impossível fazer um trabalho completo. Por isso, convidamos a Semam para que pudesse mediar uma forma de deixar esses ambientes limpos”, comentou.

A fiscal da Semam, Mariele Chaves, informou que os donos de lojas com quintais cheios de entulho e lixo, facilitando a proliferação de doenças, foram orientados verbalmente a limpar esses locais. “Em uma semana voltaremos aqui e, caso os quintais continuem no mesmo estado, iremos notificá-los e aplicar um auto de infração, que poderá variar de R$ 100 a R$ 5 mil”, advertiu.

Números – Em 2009, apenas sete casos de dengue foram confirmados na Capital, sendo quatro em laboratório e três clinicamente. Apenas um caso de leptospirose foi notificado, mas não houve a confirmação.