Prefeitura mapeia áreas de risco e elabora plano de prevenção a danos

Por - em 63

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil de João Pessoa (Comdec) mapeou 32 áreas da Capital que serão prioridade no plano de contingência para prevenção dos danos causados pelas chuvas, que começa a ser executado já na próxima segunda-feira (19), nas comunidades Saturnino de Brito, Renascer e Santa Emília de Rodat.

Em reunião na manhã desta quarta-feira (14), treze órgãos definiram uma parceria para fazer ações emergenciais, como a retirada de famílias em área de risco iminente. A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) já selecionou dez escolas que servirão de abrigo para quem estiver desalojado.

De acordo com o coordenador da Comdec, Francisco Noé Estrela, as visitas às áreas de risco já começam na próxima semana, e se estenderão até o mês de março. “Ao mesmo tempo em que faremos as visitas, nós vamos já definir as obras que serão realizadas imediatamente. Nós procuramos nos antecipar o máximo possível para que os danos sejam reduzidos à população”.

Entre as ações previstas nas comunidades estão a identificação e retirada de famílias em risco de desabamento, com a demolição das residências e o cercamento das áreas, para evitar ocupação irregular em área imprópria para habitação; poda e corte de árvores; limpeza e retirada de lixo das ruas e das margens dos rios e riachos próximos, para evitar inundações; recuperação de pavimento; desobstrução e revisão de rede de esgotamento sanitário e drenagem pluvial; e assistência em saúde nas comunidades.

O representante da secretaria de Saúde (SMS), Geraldo Moreira, que é coordenador do Centro de Zoonoses, destacou a necessidade de que haja um cuidado especial com a possibilidade de epidemias. “Antes de qualquer ação de remoção, vamos atuar para que não haja o contágio de leptospirose, leishmaniose, ou dengue”, destacou ele.

Segundo a diretora do departamento de política de proteção social, da secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), Edith Rodrigues, havendo a necessidade de remoção de famílias, elas serão encaminhadas aos dez abrigos já selecionados pela PMJP. “A partir daí trabalharemos na inclusão delas no auxílio moradia”, frisou ela.

Emergência- A Comdec mapeou 32 áreas em 12 regiões da cidade, com um cronograma que se estende até o mês de março. Contudo, Francisco Noé Estrela afirmou que, havendo uma necessidade emergencial de obras, o calendário pode ser alterado. “Se uma barreira cai, por exemplo, em uma comunidade que seria atendida no mês seguinte, nós atuaremos de forma emergencial”.

As áreas de risco são as comunidades Saturnino de Brito, Renascer, Santa Emília de Rodat, Tito Silva, Santa Clara, São Rafael, Timbó, São José, João Agripino, Chatuba I, II e III, Esperança, Riachinho, Padre Zé, Roger, Asa Branca, Boa Esperança, Novo Horizonte, 05 de junho, São Judas Tadeu, Beira da Linha, rua Luis Jacinto, rua Ari Barroso, rua José Eduardo de Holanda, avenida Cabo Branco, Santa Bárbara (no Valentina e nos Bancários), Lagoa Antônio Lins, Maria de Nazaré, Porto do Capim e Comunidade do S.

Participam do plano de contingência da Comdec as secretarias de Infraestrutura (Seinfra), Meio Ambiente (Semam), Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Desenvolvimento Social (Sedes) e Saúde (SMS), além do Orçamento Democrático (OD), Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), Guarda Municipal e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), todos da PMJP. A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), o Corpo de Bombeiros e a empresa Energisa, também integram o grupo.

As escolas municipais incluídas no plano de contingência são Ana Cristina Rolim Machado (Jardim Cidade Universitária), Mathias Freire (Torre), Damásio Barbosa da Franca (Varadouro), Dom Helder Câmara (Valentina), Durmeval Trigueiro Mendes (Rangel), Luiz Mendes Pontes (Cristo Redentor), Olívio Ribeiro Campos (Bancários), Santos Dumont (Varadouro), Celso Monteiro Furtado (João Paulo II) e Francisco Pereira da Nóbrega (Cristo Redentor).