Prefeitura reforça ações do Plano de Contingência das chuvas na Capital

Por - em 40

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Coordenadoria da Defesa Civil, segue o trabalho de prevenção de locais de riscos para evitar prejuízos em virtude das chuvas. Durante toda esta semana, os bairros do São José e dos Novais estão recebendo assistência reforçada para desobstruir pontos de alagamento. Desde o início da operação já foram recolhidas cerca de 300 toneladas de lixo, entre eles: eletrodomésticos, móveis e bicicletas. Na área do Timbó também há realização de trabalhos para retirada de famílias nas áreas de risco.

Constantemente atingida pelas fortes chuvas em João Pessoa, a população do bairro São José recebe atenção especial da Defesa Civil. O rio Jaguaribe, que corta todo o bairro, recebe um grande acúmulo de vegetação e lixo, contribuindo para a formação de pontos de alagamento no bairro. O resultado são casas invadidas e a contabilidade de diversos prejuízos para os moradores. “Por isso pedimos a população que não jogue lixo nas ruas e nas margens dos rios. O trabalho de prevenção necessitada da conscientização de todos”, alertou o coordenador da Defesa Civil, Francisco Noé Estrela.

Para evitar o aumento de problemas em virtude das chuvas, durante toda a semana, agentes da Defesa Civil seguem no bairro São José para a realização da limpeza do rio. “O relatório que fizemos já apontou que se não fossem os trabalhos realizados pela Defesa Civil os prejuízos seriam bem maiores. Então todo nosso foco é reduzir drasticamente estes pontos de alagamento”, revelou Francisco Noé Estrela.

Eletrodomésticos no lixo – Embora o trabalho de limpeza do Córrego do Bairro dos Novais consista na retirada de material arenoso, no rio Jaguaribe materiais como eletrodomésticos e móveis são retirados em todos os trabalhos de limpeza. Sofás, geladeiras e bicicletas são alguns dos objetos após a limpeza do local.

Além da vegetação acumulada e do lixo doméstico, o coordenador da Defesa Civil alerta a população que evitem lixos de grande porte. “Já há uma grande quantidade de lixo doméstico, mas é normal que a gente também encontre matérias grandes, incomuns de serem jogados no lixo. É importante que as pessoas tenham consciência e preservem o rio”, afirmou.

O diretor de operações da Emlur, Francisco Lucas Rangel, explica que toda a contabilidade de lixo feita no Rio Jaguaribe é referente a resíduos sólidos. “Além de lixo, tiramos muita vegetação, mas ela não entra na nossa contabilidade. A vegetação encontrada é arrastada para às margens do rio e ali mesmo ela se incorpora ao ecossistema”, destaca.

Casas em risco no Timbó – Outro ponto que é alvo constante de prejuízos das chuvas, o bairro dos Novais também recebe nesta semana trabalhos preventivos para facilitar o escoamento das águas da chuva. De acordo com Francisco Noé Estrela, o córrego que corre pelo bairro passará por um processo de desassoreamento, trabalho que consiste na retirada de entulhos e vegetação.

Desde a última semana, agentes da Defesa Civil agem em conjunto com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) para a retirada dos moradores em áreas de risco, no bairro do Timbó. Até o momento, 15 famílias já foram cadastradas.

O cadastro das famílias já foi realizado e, de acordo com Francisco Noé Estrela, o momento é de convencer os moradores a abandonar as residências. “Encontramos muitas resistências dos moradores, que não querem abandonar suas casas. A gente explica que eles podem participar de programas de habitação social, mas é uma tarefa difícil”, disse.

O coordenador da Defesa Social afirma que as equipes têm realizado trabalho intenso de conscientização para que as famílias deixem, o quanto antes, as residências com risco. Assim que os moradores forem relocados, a Defesa Civil irá dar início ao processo de demolição das casas que oferecem perigo aos moradores.