Prefeitura supera meta do programa e planta 483 mudas na Capital

Por - em 55

Em um esforço para tornar João Pessoa uma das cidades mais verdes do país, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) escolheu o mês de agosto para lançar o projeto “João Pessoa mais verde, 427 mudas plantadas”.  O projeto se encerra nesta quinta-feira (9), às 9h, com o plantio de um ipê pelo prefeito Luciano Agra, na Escola Ruy Carneiro, em Mandacaru (em frente ao Centro da Cidadania).

Esta semana, a equipe da prefeitura comemorou a superação da meta, chegando a plantar 483 mudas de árvores nativas e exóticas. Estão sendo plantadas mudas de ipê-amarelo, ipê-roxo, munguba, algodão-da-praia, freijó, trapiá, oiti, mocitaíbas, chichá, pata de vaca, canafístula-do-nordeste, castanheira-do-maranhão, jacarandá, lofântera e sibipiruna, entre outras espécies.

A ação começou no dia 23 de julho, dia em que foram plantadas 17 mudas de palmeiras imperiais no anel interno do Parque Solon de Lucena (Lagoa). Também receberam mudas de árvores os canteiros e equipamentos públicos dos bairros de Mandacaru, Padre Zé, Roger, Manaíra, Bessa, Alto do Mateus, Centro, Altiplano, Bairro dos Ipês, Jardim Veneza, Cidade Verde e Colinas do Sul.

No Colinas do Sul, foram plantadas 96 mudas de árvores, e, na área do Campo do 11, no Roger, 48. A Avenida Tancredo Neves, no Bairro dos Ipês, recebeu 48 mudas. Também foram plantadas árvores no Cidade Verde, sendo 12 mudas no entorno do Posto de Saúde da Família e 16  na Escola Afonso Pereira.

O projeto está sendo desenvolvido com o apoio das secretarias municipais de Infraestrutura (Seinfra) e de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e também da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur).

Plano da Mata Atlântica – O projeto “João Pessoa mais verde, 427 mudas plantadas” está inserido nas ações do Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, lançado em novembro de 2010, em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica. João Pessoa foi pioneira, sendo a primeira cidade brasileira a elaborar o plano, que é uma carta normativa com o objetivo de proteger o bioma de maior biodiversidade e também um dos mais ameaçados do planeta. Sua elaboração promove a municipalização da discussão a respeito da proteção e recuperação da Mata Atlântica.