Procon divulga pesquisa de preços de gás e água mineral

Por - em 22

O Procon de João Pessoa divulgou nesta segunda-feira (22) pesquisa de preços cobrados pelo botijão de gás e pelo garrafão de água mineral. A pesquisa constatou que o botijão de gás de cozinha está R$ 1,00 mais caro do que no último levantamento, realizado em fevereiro pelo órgão, em relação ao valor mais barato para venda, que é R$ 33. No entanto, o valor mais alto caiu R$ 1,00, sendo encontrado por R$ 37,00.

Já o valor mais acessível para compra de água mineral é R$ 3,50. A pesquisa foi realizada em 14 pontos de revenda. Segundo o secretário geral do Procon, Watteau Rodrigues, a intenção da pesquisa é coibir o abuso de preços e aumento descontrolado dos valores.

Foi constatado que a marca Platina foi a mais barata, cujo valor comercializado é de R$ 3,50 no depósito Nobel, localizado no bairro da Torre. A mesma marca está sendo vendida a R$ 3,80 no Posto Expressão, no Bessa, havendo uma variação de 8,6% sobre o preço final do garrafão.

Já a marca mais cara é a Indaiá, comercializada a R$ 6,00 no Posto Expressão, sendo o preço mais barato do garrafão revendido em quatro locais: depósito Nobel, na Torre; Isequiel Gás, situado no na rua José Américo de Almeida, Beira Rio; Beira Rio Combustível, na avenida Beira Rio, no Cabo Branco, além do depósito Pecorelli, em Jaguaribe. Todos estão vendendo o garrafão por R$ 5,00. Uma variação percentual de 20%.

A pesquisa verificou também que o preço do gás de cozinha apresenta uma diferença de até R$ 4,00 no preço do botijão de 13 kg. O menor valor para venda no local foi de R$ 33,00, no Posto Nobel, na Torre, e em Nilda Gás, no Castelo Branco. Já o maior valor apresentado foi de R$ 37,00, no Posto Expressão, no Bessa.

A pesquisa pode ser consultada na sede do Procon-JP, localizada na avenida Pedro I, 331, Centro.