Procon-JP constata aumento do preço da gasolina em 69% dos postos da Capital

Por - em 288

Os postos de combustíveis da Capital voltaram a aumentar os preços da gasolina, após dois meses de redução. Pesquisa realizada pelo Procon de João Pessoa nesta segunda-feira (28) mostrou que 69,39% dos estabelecimentos pesquisados elevaram os custos para o consumidor. O órgão identificou que a variação percentual de preço praticamente não sofreu alteração e é de 15,8%, com valores entre R$ 2,33 e R$ 2,699. No entanto, a maioria dos postos passou a cobrar o valor máximo registrado nas pesquisas anteriores.

De acordo com a pesquisa do Procon-JP, dos 98 postos pesquisados, 68 aumentaram os preços, enquanto 22 mantiveram (22,45%) e oito baixaram (8,16%). Os pesquisadores encontraram o menor valor nos postos SP, no Varadouro, e os postos Opção da BR- 101 e na Via Oeste, no Alto do Mateus. Na pesquisa anterior, realizada no início do mês, a variação de preço era de 15,5%, com o litro do produto sendo comercializado de R$ 2,33 a R$ 2,69.

Já o litro da gasolina aditivada teve uma mudança tanto no menor quanto no maior preço registrado. A variação que era de 13,9%, indo de R$ 2,37 a R$ 2,699, passou a 19,2%, com valores entre R$ 2,332 e R$ 2,78. O menor valor foi encontrado no posto Extra Petróleo, em Mangabeira. Já o maior preço foi verificado nos postos Metrópole, na Avenida Epitácio Pessoa, e Costa do Sol, em Água Fria.

“Vamos analisar detalhadamente os dados da pesquisa, comparando com os números dos levantamentos anteriores, para verificar os que tiveram uma variação maior de reajuste, pois alguns já cobravam o valor de R$ 2,69. Já estamos investigando porque tantos aumentaram ao mesmo tempo e aqueles que não conseguirem justificar, serão autuados”, afirmou o coordenador geral do Procon-JP, Emerson de Almeida Fernandes.

Álcool também sobe – O preço do álcool também foi elevado na metade dos estabelecimentos pesquisados pelo Procon-JP. Dos 96 postos que vendiam o produto durante a pesquisa, 48 tinham elevado os valores, 47 mantiveram e apenas um reduziu.

O menor valor registrado para o litro do produto teve um aumento de R$ 1,97 para R$ 1,99. Já o maior valor permaneceu em R$ 2,299, o que representa uma diferença de 15,5%. O menor preço foi verificado pelos pesquisadores no posto SP e no JF Petróleo, no Cristo Redentor. Já o maior estava no posto Villaggio, nos Bancários.

Diesel – O Procon também pesquisou os preços do óleo diesel e constatou uma diferença de 18,9%, com preços que vão de R$ 1,85 a R$ 2,199. Dos estabelecimentos pesquisados, 48 aumentaram o preço, 70 mantiveram e quatro reduziram. O menor valor foi verificado no posto Opção e no Aliança, no Bessa. Na pesquisa anterior, o litro era comercializado de R$ 1,88 a R$ 2,199, com 17% de variação entre os estabelecimentos.

GNV não aumentou – O gás natural veicular foi o único combustível que não sofreu alteração em relação à pesquisa anterior. Os preços praticados para o metro cúbico do GNV vão de R$ 1,699 a R$ 1,82, variando 7,1%. Os motoristas encontram o menor valor no posto Bom Jesus, na BR – 101, e no Mastergás, na Epitácio Pessoa.

Acompanhamento – Os preços cobrados pela gasolina na cidade era de R$ 2,27 no início de novembro do ano passado. Mas poucos dias depois, 66% dos estabelecimentos elevaram os preços e os consumidores encontraram o combustível acima de R$ 2,58 na maioria dos postos. Com os aumentos consecutivos, o menor valor foi para R$ 2,50. Apenas cinco meses depois o Procon-JP verificou queda, pois desde março os preços estavam sendo reduzidos e chegaram a R$ 2,33.

Por causa do aumento uniformizado dos preços, o Procon intensificou o monitoramento e auxilia o Ministério Público, subsidiando com informações para que seja apurada a possível cartelização nos postos, já que o MP instaurou inquérito para investigar o caso.

Clique no link para pesquisa completa