Procon-JP ultrapassa 10,2 mil atendimentos nos primeiros 8 meses de 2019

Por Evanice Gomes - em 245

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) registrou 9.252 atendimentos no Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), nos oito primeiros meses deste ano, ultrapassando o que foi registrado no mesmo período de 2018 em 2.011 atendimentos. Já os números do chamado atendimento avulso, realizados no Procon-JPmóvel e em palestras registram mais de 1.000, totalizando cerca de 10,2 mil assistências.

Os serviços de telefonia, água, luz e bancos continuam a constar como os campeões de reclamação, com a empresa Oi se mantendo na liderança do ranking das 10 mais, com 924 reclamações. As principais reclamações por parte dos consumidores são cobrança indevida das faturas e a má prestação de serviço.

Além da Oi, constam na relação das 10 mais reclamadas, a Energisa (615), Cagepa (427), Tim Nordeste (411), Claro (381), Caixa Econômica Federal (325), Vivo (229), Banco Bradescard (164), Banco do Brasil (159) e Itaucard/Credicard (159). As empresas, juntas, somam quase 40% do total de reclamações: 3.762.

Mais consciente – O secretário Helton Renê informa que o aumento nos números do atendimento do Procon-JP também tem a ver com a conscientização do consumidor, que hoje está mais atento. “Devido a um maior acesso às informações dos seus direitos, o cidadão não está deixando passar em branco as irregularidades do dia a dia na relação de consumo. Também devemos dar o crédito às nossas campanhas educativas e preventivas que divulgam as leis consumeristas”.

Medidas preventivas – O titular do Procon-JP acrescenta que, além das campanhas educativas e preventivas, a Secretaria vai tomar outras medidas, já que as empresas que constam na relação das 10 mais reclamadas são sempre as mesmas. “Vamos notificar bancos, operadoras de telefonia e os serviços de fornecimento de água e energia para tomarmos medidas que melhorem essa relação. Até porque são sempre as mesmas nesse ranking, só mudando a posição”.

O consumidor – Jucicleide Maria de Lima, 35, do bairro João Agripino, esteve no Procon-JP na manhã desta segunda-feira (9) para reclamar contra uma das campeãs no ranking do Procon-JP: a Cagepa. Ela explica que o valor cobrado na fatura mensal não bate com o consumo da família de três pessoas, que passa o dia fora de casa. “As últimas faturas vieram em torno de R$ 450, quando antes eu pagava em torno de R$ 120. Tem alguma coisa errada”.

Processo administrativo – Vilcson da Costa Ramos Miranda, que atendeu Jucicleide no Procon-JP, salientou que a consumidora já testou se há vazamentos e como isso não procede, ele abriu um processo administrativo contra a empresa, ao mesmo tempo em que a orientou a pedir uma vistoria no hidrômetro à Cagepa e também para refazer o teste do vazamento, já que o valor realmente subiu demais. “Na audiência aqui no Procon-JP devemos esclarecer tudo isso”.

Atendimentos do Procon-JP na Capital

Sede – segunda a sexta-feira: 8h às 14h na sede situada na Avenida D. Pedro I, nº 473, Tambiá

MP-Procon – segunda a sexta-feira: 8h às 17h na sede situada no Parque Solon de Lucena, Lagoa, nº 300, Centro

Uninassau: segunda a sexta-feira das 8h às 17h, no Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Uninassau, na av. Amazonas, 173, Bairro dos Estados

Telefones: 3214-3040, 3214-3042, 3214-3046, 2107-5925 (Uninassau) e 0800 083 2015

Instagram: @proconjp