Programa de segurança alimentar da Prefeitura é referência para outros Estados e municípios

Por Luiz Carlos Lima - em 198

O programa de segurança alimentar da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) é reconhecido como referência pelo Governo Federal. Em virtude disso, representantes de outros estados e municípios têm procurado os restaurantes populares mantidos pela PMJP – no Parque da Lagoa e em Mangabeira – para conhecer as experiências. Nesta terça-feira (19), representantes do Governo de Pernambuco e da Prefeitura do Recife estiveram na Capital com o objetivo de conhecer de perto as estruturas dos restaurantes e de como a PMJP conseguiu êxito no programa de segurança alimentar.

Os dois restaurantes populares – de Mangabeira e do Parque da Lagoa – produzem e distribuem 2.200 refeições, diariamente. De acordo com a Diretoria de Economia Solidária e de Segurança Alimentar e Nutricional (Dessan), a média é de 44 mil refeições por mês e 528 mil refeições por ano. Conforme avaliação da diretora da Dessan, Lúcia Silva, as refeições servidas nos restaurantes se constituíram em uma ação de segurança alimentar de grande amplitude, “considerando que a população paga a quantia simbólica de R$ 1,00 e o município arca com uma parcela bem superior a esse valor”, destaca ela.

A superintendente de Segurança Alimentar do Governo do Estado de Pernambuco, Mariana Suassua, foi uma das representantes que estiveram na Capital para conhecer a estrutura dos restaurantes populares. “Realmente estamos impressionados com a quantidade de pessoas atendidas por dia, além da qualidade das refeições que são servidas. O governo de Pernambuco quer retomar esse programa de segurança alimentar e estamos em busca de referências para nossa implantação”, destacou.

Combate à fome – O restaurante popular é um dos equipamentos da Política de Segurança Alimentar e Nutricional da Prefeitura. Administrado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), a gestão municipal tem executado nos últimos anos, uma série de projetos, programas e ações no combate à fome, pobreza e a desnutrição, formando uma ampla rede de segurança alimentar e nutricional.

A rede engloba, além dos dois restaurantes populares, cinco cozinhas comunitárias e um Banco de Alimentos, fomentado pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), considerado um instrumento de valorização na política alimentar e cidadania.