Programa Empreender-JP libera 272 novos contratos

Por - em 43

Aproximadamente 300 pessoas participaram nesta sexta-feira (9) da solenidade de liberação de contratos do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios de João Pessoa (Empreender-JP). Na ocasião, o prefeito Ricardo Coutinho (PSB) lembrou que o projeto vem servindo de exemplo para outros municípios do País.
 
“Eu posso dizer com toda a certeza, que o Empreender é atualmente o melhor programa de microcrédito orientado do Brasil. Ninguém conseguiu alcançar o que nós conseguimos aqui”, declarou Ricardo durante a liberação de 272 contratos de empréstimo.

O prefeito citou alguns municípios da Paraíba que já buscaram o Empreender para reproduzir a experiência. “Cajazeiras já criou o seu próprio Empreender e Mamanguape está estudando a possibilidade”. De acordo com ele, o Sebrae já informou que há interesse de 17 prefeituras do Mato Grosso de visitarem João Pessoa para conhecer o funcionamento do Empreender-JP e reproduzir o projeto em municípios do Estado.

Desde 5 de julho de 2005, o Programa de Apoio aos Pequenos Negócios já investiu R$ 17,4 milhões em 7,5 mil planos de negócio. “Imaginem então o que são R$ 17 milhões na lógica de quem menos tem”, declarou Ricardo Coutinho.

Só nesta sexta-feira foram liberados R$ 512.480, uma média de R$ 1,8 mil por contrato. Entre os microempreendedores estavam Maria José de Sena, de 63 anos, e Liliana Faustino de Brito César, de 39. Elas foram as duas primeiras beneficiárias do dia e receberam os cheques das mãos do prefeito Ricardo Coutinho e do secretário de Desenvolvimento Sustentável da Produção (Sedesp), Raimundo Nunes, respectivamente.

Maria José recebeu R$ 2 mil por meio da linha de crédito especial Empreender 50+, uma modalidade voltada a pessoas com idade acima de 50 anos. Já Liliana faz parte da linha de crédito tradicional e é um exemplo de como o crédito orientado pode fazer a diferença para os pequenos negócios. Essa é a terceira renovação dela e, consequentemente, o quarto empréstimo. “As coisas estão indo muito bem”, declara a costureira, que consegue ganhar por mês R$ 1,2 mil, já descontadas as despesas.

Liliana trabalha principalmente com confecção de fardamento e, há quatro anos, quando entrou no Empreender, tinha apenas um cliente fixo. Hoje são cinco, além de vários serviços avulsos. Como já está na terceira renovação e sempre pagou as prestações em dia, ela teve direito a um empréstimo em um valor bem acima da média, de R$ 6,2 mil. “Os primeiros eu apliquei na compra de material, para aumentar a produção. Desta vez, além de produtos, vou comprar também maquinário”, conta. A costureira planeja acrescentar uma máquina industrial ao conjunto de três semi-industriais que já possui.

Seguindo o exemplo de Liliana, o restante da família resolveu arriscar no mundo dos negócios. O filho e o marido dela comandam uma lanchonete na própria residência e também já foram beneficiados pelo Empreender. Liliana quer, agora, formalizar as duas pequenas empresas. “Vamos dar entrada no processo agora este mês”, conta.
 
Inclusão social – Durante a solenidade de liberação dos empréstimos, o secretário Raimundo Nunes (Sedesp) lembrou a trajetória do Empreender-JP e afirmou que o projeto tem um impacto tanto econômico como social. “A primeira meta deste programa foi incluir na economia aquelas pessoas que estavam abaixo da linha da pobreza. Depois, estimular a participação dessas pessoas como empreendedoras formais e informais”, declarou.

Além do prefeito Ricardo Coutinho e do secretário Raimundo Nunes (Sedesp), participaram da solenidade de liberação de contratos desta sexta-feira o vice-prefeito Luciano Agra; o vice-secretário da Sedesp, Lucius Fabianni; a ex-vereadora Paula Frassinete, e o coordenador do Cinturão Verde (linha de crédito especial do Empreender), Roberto Vital.