Projeto Emlur Amiga da Paz completa 3 meses com 384 alunos capacitados

Por - em 24

A Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) concluiu nesta sexta-feira (28), a sétima turma do projeto de capacitação em mediação de conflitos ‘Emlur Amiga da Paz’, oferecido em parceria com a Polícia Militar da Paraíba (PMPB). Apenas nesta manhã, 70 pessoas compareceram à Companhia Estadual de Habitação Popular (Cehap), em Mangabeira, totalizando 384 alunos formados desde o início do projeto.

O ‘Emlur Amiga da Paz’ teve suas primeiras turmas concluídas em meados do mês de junho. Nesta primeira etapa, o curso foi direcionado aos agentes de limpeza, servidores administrativos e lideranças comunitárias envolvidas em projetos ambientais da Autarquia. Tendo em vista a boa aceitação por parte dos alunos, o projeto foi descentralizado e expandindo. Desde então, as palestras tem sido ministradas para os moradores de comunidades com um risco social elevado.

Para o superintendente da Emlur, Coriolano Coutinho, a parceria com a PMPB tem sido fundamental para construção de um contexto de segurança pública voltado para uma cultura de paz. Coriolano lembrou que o projeto nasceu a partir da percepção das necessidades apresentadas por muitos servidores da Emlur que, direta ou indiretamente, sofriam com ações de violência em suas comunidades.

“O objetivo principal do projeto é demonstrar que a qualidade da segurança pública não depende apenas de ações repressivas da polícia, mas que deve ser construída com a colaboração de todos”, afirmou o superintendente.

No curso ministrado nesta sexta, o representante da Igreja Cristo Rei, Monsenhor Nereu; do Centro da Juventude, Professor Cazuza; do Centro Educacional Pintando o Sete, Maria de Fátima Sousa; da comunidade evangélica do bairro, Pastor Clóvis; e da Aldeia SOS, Vilma da Silva Correia, compareceram à solenidade. Também estiveram presentes à palestra o conselheiro tutelar da região de Mangabeira, Wellington Cardoso, e o suplente de vereador, Professor Mendes.

Reconhecimento – Na última quinta-feira (25), o superintendente Coriolano Coutinho e o diretor administrativo financeiro Renato Leitão receberam do Centro de Defesa dos Direitos Humanos, em solenidade realizada na Assembléia Legislativa da Paraíba, o diploma “Amigos dos Direitos Humanos”. Este documento é entregue em reconhecimento às pessoas que se destacaram pelos serviços prestados as ações de direitos humanos.

“O recebimento deste título é resultado do trabalho realizado pela Emlur, através do projeto ‘Emlur Amiga da Paz’, que é fruto de uma gestão preocupada com o bem-estar de seus servidores”, afirmou Coriolano. “Desde o início de nosso trabalho, temos procurado maneiras de contribuir para uma melhor qualidade de vida de nossos funcionários e, vimos neste projeto uma oportunidade participarmos mais ativamente de um tema que faz parte do cotidiano da população”, concluiu.

Expansão – Após as primeiras turmas, formadas por pessoas ligadas à Emlur, o projeto passou por uma modificação e seguiu sendo executado de forma descentralizada, indo de encontro aos moradores de comunidades com um maior risco social. Antes de chegar à Mangabeira, as palestras já haviam sido ministradas nos bairros de Mandacaru, Gervázio Maia e Cristo. Até o final do ano, outras sete comunidades devem ser visitadas pelas equipes da Emlur e PMPB. O bairro Padre Zé será o próximo a integrar o projeto com a ação prevista para o dia 9 de setembro.

Amiga da Paz – O projeto é uma parceira entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa, através da Emlur, e Polícia Militar do Estado, norteado pelos seguintes princípios: ação preventiva, transparência, cidadania, ação educativa, cultura de paz e mediação de conflitos. A parceria dos dois órgãos com a população parte da premissa de que todos devem trabalhar para identificar, priorizar e resolver problemas contemporâneos, como crimes, drogas, medos, desordens físicas, morais e, até mesmo, a decadência dos bairros. Essa união de esforços, segundo a Polícia Militar, possibilita que as soluções sejam cada vez mais efetivas.

O conteúdo programático das palestras é dividido em ‘Segurança Cidadã’ e ‘Mediação de conflitos’. Durante o curso, moradores e lideranças comunitárias das regiões visitadas são habilitados a agir preventivamente, evitando que um pequeno desentendimento entre vizinhos venha a se tornar uma ocorrência de maiores proporções.

Conselho Comunitário de Segurança – A partir da execução do curso, são formados conselhos de segurança que englobam oficiais da Polícia Comunitária e moradores da região. Este relacionamento possibilita uma interação mais próxima entre comunidade e agentes públicos, estabelecendo um canal de comunicação.