Projeto que lembra acontecimentos de maio de 68 é lançado nesta terça

Por - em 19

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) lança nesta terça-feira (27), às 17h, o evento ‘Maio, 1968 – 40 anos de Paixões Revolucionárias’, que ocorrerá no hall do Paço Municipal, no Centro da cidade, com uma exposição de materiais relacionados aos acontecimentos de 1968. O projeto conta também com a exibição de filmes, além de palestras, debates e shows musicais.

Serão expostos quadros de Flávio Tavares, livros, discos e fotografias dos eventos que transformaram a mentalidade ocidental no final dos anos sessenta. A exposição ficará disponível à visitação pública até a próxima sexta-feira (30) no Paço Municipal, que está localizado na Praça Pedro Américo, Centro.

Bráulio Tavares, Jomard Muniz de Brito, Eduardo Jorge, Rubens Pinto Lyra, Simão Almeida e Carlos Aranha serão alguns dos palestrantes que vão discutir os principais acontecimentos, as repercussões no mundo e no Brasil e a integração da Paraíba ao movimento de 1968.

Reflexão – Para o prefeito Ricardo Coutinho (PSB), o projeto é uma proposta de reflexão sobre os rumos da cultura e da política do País, a partir dos eventos de maio de 1968. Ele cita acontecimentos importantes daquele ano, como a guerra do Vietnam, as contestações na França, o Tropicalismo, o movimento estudantil e a guerrilha contra a ditadura militar no Brasil.

“É uma tarefa de governo resgatar a história de movimentos que avançaram na defesa dos direitos individuais e coletivos, a exemplo do movimento feminista, das lutas por igualdade racial, do próprio movimento estudantil enquanto força crítica transformadora”, comentou.

Programação – Entre os filmes que serão exibidos a partir desta quarta-feira (28) no Casarão 34, destaque para ‘A chinesa’, de Jean-Luc Godard, e ‘Terra em transe’, de Glauber Rocha. Na sexta-feira (30), a partir das 16h, acontece uma mesa redonda sobre artes no Casarão 34, com Bráulio Tavares, Jomard Muniz de Brito, Luiz Carlos Vasconcelos e Carlos Aranha.

Já no domingo (1º de junho), também às 16h, no Casarão 34, tem mesa redonda sobre política com Eduardo Jorge Martins, atual secretário do Verde de São Paulo e integrante da geração paraibana que contestou a ditadura; mais Rubens Pinto Lyra, à época dirigente estudantil, e Simão Almeida, que participou da guerrilha no Araguaia.