ProJovem Adolescente inscreve em 8 bairros

Por - em 59

As inscrições para o ProJovem Adolescente prosseguem abertas até o dia 30 deste mês em oito bairros da Capital. O programa objetiva oferecer formação cidadã e para o trabalho, além de fortalecer a convivência dos adolescentes nos níveis familiar e comunitário. Na segunda-feira (12), se inscreveram 30 pessoas nas unidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) distribuídos nos bairros do Alto do Mateus, Ilha do Bispo, Cruz das Armas, Mandacaru, Valentina Figueiredo, Cristo Redentor, Colinas do Sul e São José/Chatuba.

Para participar do programa é necessário que os pais ou responsáveis apresentem no ato da inscrição o documento de identidade e CPF, além da identidade e registro do adolescente. As unidades do Cras funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h ao meio-dia e das 13h às 17h. Mais informações podem ser obtidas pelo número de telefone da Divisão do Cras: 3214-3709.

O Projovem Adolescente foi criado no ano de 2008 em substituição ao programa Agente Jovem. Atualmente, na Capital, o serviço realizado em parceria com o governo federal beneficia 1.250 adolescentes com idades entre 15 e 17 anos distribuídos em 53 grupos de convivência.

A responsável pela Divisão do Centro de Referência da Assistência Social, Waleska Ramalho, ressaltou que a meta do Governo Municipal é chegar a 2.200 adolescentes em atividades culturais, esportivas e de cidadania, como mais uma ação contra a ociosidade e vulnerabilidade desses jovens aos vários níveis de violência.

Ela enfatizou que o programa é transformador na vida dos adolescentes por compreendê-los na integralidade. “A principal mudança na vida dos adolescentes que ingressam na iniciativa é que eles passam a ter consciência de pessoas com direito à cidadania e as várias formas de exercê-la em sociedade. Muitos deles tinham laços familiares fragilizados que no decorrer das atividades são recuperados, o que diminui e muito a vulnerabilidade social. É importante ressaltar também que os jovens aprendem a valorizar a cultura desenvolvida ao seu redor, em um resgate fundamental da auto-estima deles”, destacou.