Público lota centro de JP na 2ª edição da ‘Quarta Negra’

Por - em 42

A segunda edição do projeto ‘Quarta Negra’ atraiu milhares de pessoas ao Ponto de Cem Réis, na noite desta quarta-feira (17) para assistir a apresentação da cantora maranhense Rita Ribeiro, com o seu show ‘Tecnomacumba – a tempo e ao vivo’. A atração local ficou por conta do grupo pessoense Mamma Jazz, que após 10 anos volta aos palcos com o CD ‘Nôkana Disquicy’, patrocinado pelo Fundo Municipal de Cultura (FMC). O projeto ‘Quarta Negra’ é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

A cantora Rita Ribeiro falou da felicidade de realizar um show na Capital, dentro do projeto ‘Quarta Negra’. “Em primeiro lugar, eu adoro João Pessoa e estou muito feliz em participar de um projeto com este perfil, que dá possibilidade de várias pessoas de apreciar a música negra, a cultura negra. Esta é a primeira vez que estou aqui com este show e me emociona muito por ser dentro de um projeto vivo, que mexe com as energias cósmicas”, declarou.

Rita Ribeiro parabenizou a Funjope pela iniciativa de realizar o projeto ‘Quarta Negra’. “Toda a equipe da Funjope está de parabéns por promover este tipo de evento, que é muito difícil de ser realizado pelos poderes públicos país afora, portanto, isso é um grande desafio e reafirmo que estou feliz por estar na terra musical efervescente de músicos como Sivuca, Chico César, Totonho e Cátia de França”.

Show – A primeira atração da noite foi o grupo Mamma Jazz, que estava há 10 anos longe dos palcos, mas que é bastante conhecido do público paraibano. No show desta quarta-feira ocorreu o lançamento do CD ‘Nôkana Disquicy’. Este trabalho é uma coletânea dos dez anos de carreira da banda paraibana e o público pôde ouvir as músicas ‘Nakana diskuici’, ‘Chega junto’, que tem participação especial de Adeildo Vieira, além de ‘Baloba e Balula’, uma homenagem ao guerrilheiro cultural e ícone do Movimento Negro da Paraíba, o saudoso João Balula.

O idealizador do grupo Mamma Jazz, músico Guilherme Semmedo, que nasceu em Guiné Bissau e é radicado na Paraíba há cerca de duas décadas, falou dessa volta aos palcos. “Fazer parte de um cenário musical como o paraibano já nos traz muita felicidade e estamos muito agradecidos por participar do projeto ‘Quarta Negra’, este evento promovido pela Prefeitura Municipal que acima de tudo, incentiva, destaca e valoriza a cultura negra”.