Quarteto de Trombones e o premiado Raul de Souza no ‘Sabadinho Bom’

Por - em 90

O grupo paraibano ‘Quarteto de Trombones’ e o premiado trombonista carioca Raul de Souza são as atrações do ‘Sabadinho Bom’ deste sábado (07). O evento, realizado pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), começa a partir das 12h na Praça Rio Branco. No repertório estão clássicos do choro nacional e regional.

“Desde que surgimos temos a proposta de resgatar o chorinho. Com esse projeto ‘Sabadinho Bom, vamos tocar ainda mais esse estilo musical”, comentou Sandoval Moreno, músico do Quarteto de Trombones que neste sábado também vai dividir o palco com o trombonista Raul de Souza para fazer algumas participações especiais.

Raul de Souza – Nasceu no Rio de Janeiro, em 1934. Com mais de 20 álbuns gravados, o trombonista, premiado internacionalmente, trabalhou nos anos 70 para Sérgio Mendes, Flora Purim, Airto Moreira e Milton Nascimento. Também se apresentou com jazzistas nos álbuns da Sonny Rollins e Cal Tjader. Entre os anos 80 e 90, participou de sessões com Gilberto Gil, Toninho Horta, Maria Bethânia, Lisa Ono, Salena Jones, Nelson Angelo, Taiguara, João Donato e Eloir de Moraes. Um dos destaques foi à participação no último disco de Tom Jobim, o grammyado ‘Antonio Brasileiro’.

Quarteto de Trombones – Esse ano, o grupo paraibano completou 22 anos de existência, com o reconhecimento da crítica nacional. Formado por Sandoval Moreno, Gilvandro Pereira, Rogério Lima e Rainery Alventino, o quarteto já se apresentou pelo exterior, em países como Estados Unidos, Suíça e França, onde participou do ‘Festival Internacional de Música Universitária’.

Durante sua trajetória de mais de duas décadas, o Quarteto de Trombones gravou dois álbuns, sendo o primeiro intitulado ‘Quatro Mais Uns’ (1995) e o último ‘Paraquedista’ (1998). “Tivemos o convite para tocar no Encontro Brasileiro de Trombonistas, em São Paulo”, disse Sandoval Moreno.

No repertório do Quarteto de Trombones estão músicas de sucesso nacional, como ‘Carinhoso’ (Pixinguinha), Brasileirinho (Valdir Azevedo) e ‘Na Glória’ (Raul de Barros). Há ainda um considerável espaço para a execução do trabalho de alguns compositores paraibanos de choro, a exemplo de José Leocádio, Marcelo Vilô, Severino Araújo, Antônio Benedito e outros artistas da terra.