Quinteto Uirapuru abre nesta sexta-feira Circuito das Praças

Por - em 40

O Quinteto Uirapuru estará nesta sexta-feira (9) dando continuidade à programação do Circuito Cultural das Praças de outubro. O show será no Ponto de Cem Réis, a partir das 18h, com um repertório recheado de obras eruditas consagradas e da mais autêntica música brasileira. Na mesma noite, a atração da Feirinha de Tambaú é a Companhia Lunay, que levará ao público o estilo tribal de dança. No Largo de São Frei Pedro Gonçalves, às 22h30, é a vez da Banda Tocaia. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

O músico e violinista do Quinteto Uirapuru, Rucker Bezerra, ressaltou que o Circuito das Praças é um encontro democrático entre o público e a cultura. “É saudável sair do teatro e ir para rua, mostrar que uma boa música pode ser extremamente acessível a todos. Tivemos algumas experiências com apresentações ao ar livre. Sempre tivemos uma grande receptividade por parte do público, pois mesclamos nossas apresentações com repertório conhecido, música autoral, além de boas doses de humor. Isso quebra o gelo e deixa o público mais perto do Quinteto”, ressaltou.

O Quinteto Uirapuru vai executar obras eruditas consagradas, a exemplo de ‘Serenata Noturna’ (Wolfgang Amadeus Mozart) e ‘Bolero’ (Maurice Ravel). Os músicos também vão passear por canções nacionais mais populares, como ‘Disparada’ (Geraldo Vandré) e ‘Tico-Tico no Fubᒠ(Zequinha de Abreu), além de composições próprias, entre elas ‘Minha Luiza’ e ‘Esse ou Esse?’, ambas de Rucker Vieira, que assina outros arranjos.

Nesta apresentação do Ponto de Cem Réis sobem ao palco pelo Quinteto Uirapuru os músicos Rucker Bezerra (1º violino), Marina Zenaide (2º violino), Samuel Espinoza (viola), Andrêyna Dinoá (violoncello) e Hercílio Antunes (contrabaixo). O grupo foi criado em 2002 e desde então vem desenvolvendo uma intensa atividade musical em todo o Brasil.

O Quinteto prima por um repertório brasileiro, dando ênfase a novos compositores, além de músicas de autoria própria. O grupo conta ainda com músicos de formação acadêmica com larga experiência. Em 2002, foi selecionado para se apresentar ao príncipe Friedrich II, da Dinamarca, na primeira exposição das obras de Albert Eckhout no Brasil.

Em 2003, o Quinteto Uirapuru lançou o CD ‘Lá em Casa’, que é uma coletânea de artistas paraibanos, obras eruditas consagradas e música brasileira. No mesmo ano, o grupo firmou parceria com mestre Sivuca para gravação do álbum ‘Sivuca & Quinteto Uirapuru’, que foi lançado em 2004 pelo selo Kuarup. O trabalho foi vencedor na categoria Melhor Arranjo do Prêmio TIM 2005.

Tocaia – Uma pluralidade musical natural do meio em que nasceu, com suas antenas ligadas para o mundo. É assim que o grupo Tocaia se define. Os integrantes ressaltam que rebentaram em um universo sonoro nordestino, onde a viola de “repente” se mistura com a guitarra elétrica, enquanto o aboio se confunde com o blues. “São elementos que estão em constante ebulição a cada instante do dia e de ‘tocaia’ mesmo, aproveitando cada pulsar dessa aldeia”, comparou o vocalista e violonista da banda, Erivan Araújo.

Na opinião de Erivan, o Circuito das Praças oportuniza a cena musical de todo estado. “O papel mais importante é a democratização da arte. Com o projeto, o trabalho que não está presente nos grandes meios de comunicação pode ser veiculado diretamente para o público”, comentou.

Tocaia se apresenta no Largo de São Frei Pedro Gonçalves com um repertório que inclui músicas como ‘Saora’ (Naldinho Braga), ‘Tabajara’ e ‘João Grilo’, sendo essas últimas de Erivan Araújo. São canções que estão presentes no último CD, intitulado ‘Botando pra quebrar’ (2005). A banda foi fundada em 1997 e o primeiro trabalho foi gravado em 1998, levando o mesmo nome do grupo. Erivan Araújo está preparando atualmente um trabalho solo, que será lançado ainda esse ano. Por isso, a banda estava um pouco afastada dos palcos.

A formação do Tocaia para o show do Largo de São Frei Pedro Gonçalves conta com Erivan Araújo (violão e voz), Chico Limeira (contrabaixo), Eduardo Brito (guitarra), além de Fabiano Lira, Vagalume e Luciano Oliveira. Esses três últimos ficarão à frente da percussão.

Companhia Lunay – O Circuito Cultural das Praças está englobando ainda a última edição do projeto Nossa Dança, também da Funjope, que acontece uma vez por mês, de julho a outubro. O objetivo é deixar em evidência os grupos de dança de João Pessoa e cidades vizinhas. Nesta sexta-feira, na Feirinha de Tambaú, a atração será a Companhia Lunay, que trabalha com estilo tribal. O trabalho tem a frente a diretora, coreógrafa e bailarina do grupo Kilma Farias.