Rede de assistência da Prefeitura atende a 85,99% da população idosa

Por - em 301

João Pessoa é a terceira Capital do Nordeste com o maior índice de população idosa, conforme dados do Censo 2010, divulgados nesta quarta-feira (16) pelo IBGE. Segundo o levantamento, há 74.522 idosos na Capital, que representam 10,3% do total de 723.515 pessoas, atrás de Recife (11,8%) e Natal (10,4%). No ano 2000, o índice era de 8,13%. Para atender a esta parcela da população, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) vem trabalhando, desde 2005, na melhoria da rede de assistência à saúde do idoso, que atende a 85,99% das pessoas com mais de 60 anos de idade.

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o índice de atendimento nas Unidades de Saúde da Família (USF) para os idosos passou de 67,42% (35.046 idosos) para 85,99% (64.079) de 2004 a 2010. Quando a atual gestão municipal assumiu a Prefeitura, em 2005, o índice passou para 75,53% (40.630) e continuou aumentando.

Em 2005 os idosos representavam apenas 8,32% dos 488.615 de população cadastrada na rede de saúde básica. No ano passado, o índice subiu para 10,23% sobre 626.258 pessoas no total. Segundo a gerontóloga Irene Delgado, da área técnica de saúde do idoso da SMS, este aumento no atendimento se deve ao crescimento desta parcela da população e ao trabalho da PMJP em procurar melhor tratar as pessoas com idade a partir de 60 anos.

“A cada ano, em torno de três mil pessoas entram para a terceira idade e nosso atendimento segue esta demanda. Nossa proposta é promover um envelhecimento ativo em que o idoso tenha atividades a desenvolver e cuide de sua saúde por meio de atividades, fisioterapia e alimentação saudável”, explica ela.

A rede de assistência à saúde do idoso é composta pelas USF, onde há o atendimento básico e, havendo sinais de alerta, é feito o encaminhamento para o Centro de Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa (Caisi), nos casos de média complexidade, ou aos hospitais, nos de alta complexidade.

Prevenção – Além do atendimento ambulatorial, o Caisi mantém grupos em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), que promovem o envelhecimento saudável e também trabalham com a prevenção da saúde. São três grupos de memória, dois de convivência (parceria Sedes), dois de escola de postura, um de educação física (parceria Sedes), e um grupo de flauta e dança (parceria com a Funjope).

A taxa de internação por fratura no fêmur caiu de 20,4% para 15%, de 2005 a 2010, entre a população com idade a partir de 60 anos, mesmo com o constante aumento desta população. Irene Delgado destaca que a tendência é que a taxa continue caindo e, para isto, é feito um trabalho de conscientização com as famílias. “Nós orientamos para que adequem o ambiente familiar para o convívio com o idoso. Se não é possível colocar uma barra de inox no banheiro, uma de PVC é uma opção mais viável, por exemplo. Também falamos para que o espaço da casa como um todo seja reorganizado para que o idoso não tropece e sofra as consequências”, diz a gerontóloga.