Reformas no Mercado de Cruz das Armas começam na segunda

Por - em 25

Começam na próxima segunda-feira (05) as obras de reforma e ampliação do mercado Sindolfo Freire, em Cruz das Armas. A obra, que tem previsão de ser concluída em 180 dias, faz parte do Plano de Ações Integradas (PAI) anunciado em setembro pelo prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB). Serão investidos recursos na ordem de R$ 2.150.000, oriundos da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) e de convênio com o Banco do Brasil, através do programa do Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS).

O mercado, que foi construído em 1962, será totalmente modificado obedecendo a um moderno e funcional projeto que vai preservar a arquitetura original. As antigas edificações existentes no interior do mercado serão demolidas e reconstruídas de modo a proporcionar mais conforto e funcionalidade, tanto aos comerciantes, quanto aos consumidores.

Ventilação, segurança, acessibilidade e higiene são itens prioritários no projeto, que foi concebido pela Secretaria de Planejamento (Seplan) e aprovado pelos 142 comerciantes que serão beneficiados pela obra. Todos passarão de permissionários (as) a proprietários (as) dos boxes, podendo optar pelo financiamento do Banco do Brasil.

A reforma – Pilares de concreto e estrutura de telhado em aço anticorrosivo vão dar sustentação ao novo pavilhão no centro do mercado que vai abrigar os boxes de atividades como hortifrutigranjeiros, carnes, queijos, aves, temperos, raízes e mangaios, entre outras. Esses boxes serão feitos de alvenaria e revestidos de cerâmica.

Banca de revistas, serviços de relojoeiro, fotógrafo, salão de beleza, produtos eletrônicos e de informática, além de miudezas, confecções e calçados ocuparão as áreas laterais do mercado. Todas as instalações hidrossanitárias, eletrotelefônicas e de combate a incêndio serão substituídas.

Provisório – Durante a reforma, os comerciantes serão transferidos em boxes provisórios na rua Silva Mariz, perpendicular à avenida Cruz das Armas e lateral ao mercado, onde poderão desenvolver suas atividades.

“Esta foi uma solução encontrada pela PMJP juntamente com os comerciantes que há pelo menos um ano, dialogam conosco na busca de alternativas que não interrompam suas atividades enquanto a obra estiver sendo realizada”, afirmou o secretário Hildevânio Macedo, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), órgão que administra os mercados públicos da cidade.