Região quer melhorar saúde, transporte e infra-estrutura

Por - em 64

Melhorias na infra-estrutura, transporte e saúde foram as principais reivindicações de bairros e comunidades ligadas à 4ª região orçamentária da Capital, na noite da terça-feira (3), quando dezenas de pessoas de várias localidades estiveram no Ginásio Odilon Ribeiro Coutinho, no Valentina Figueiredo I, para participar da audiência regional do Orçamento Democrático 2009.

O debate sobre o orçamento público da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) teve a participação do prefeito Ricardo Coutinho (PSB), mais secretários e dirigentes que compõem o Governo Municipal, além de vereadores e presidentes de associações comunitárias, que ouviram atentamente cada sugestão, pedido e agradecimento dos presentes.

Foram ouvidas 30 pessoas, que colocaram questões referentes a situações vivenciadas no dia-a-dia de cada um dos moradores de bairros como Valentina I e II, Planalto Boa Esperança, Barra de Gramame e de várias comunidades, a exemplo de Santa Bárbara, Condomínio Independência e Loteamento Colinas do Sul.

Investimentos e obras – O Orçamento Democrático foi implantado na cidade de João Pessoa pelo prefeito Ricardo Coutinho em 2005, início de sua primeira gestão. Desde então, foram investidos – a partir das reivindicações dos mais de 150 mil participantes das plenárias – recursos da ordem de R$ 140 milhões nas 14 regiões em que a cidade está dividida.

Os investimentos resultaram em cerca de 300 obras, enumeradas nas áreas da habitação (mais de 3 mil casas); trânsito, com a construção de acessos e melhoria de calçamento; educação, com a construção ou reforma de 12 escolas; saúde, com a construção de Unidades de Saúde da Família (USF) e reforma e construção de hospitais. Ricardo Coutinho citou o exemplo do Hospital de Ortotrauma de Mangabeira, segundo maior do Estado, que hoje atende aos moradores de toda a Capital e de municípios vizinhos.

Poder ao povo – Ricardo respondeu a cada uma das solicitações, lembrando que obedece às limitações do poder público. “Queria poder fazer tudo, mas todos sabem que é difícil, por isso é de fundamental importância a participação de vocês aqui, para que possamos definir as diretrizes de aplicação do dinheiro, que pertence a vocês mesmos. Chegamos ao poder e agora estamos devolvendo à população este poder de definir onde os recursos vão ser aplicados”, enfatizou.

Em relação a problemas que ocorrem em loteamentos construídos em gestões anteriores, ocasionados pela falta de infra-estrutura, principalmente com a chegada das chuvas, Ricardo Coutinho disse estar trabalhando, mas lembrou que em condomínios como o Gervásio Maia, entregue à população em 2008, esses problemas não acontecem. “Lá temos escola, ginásio, praça, saúde. Nos outros que não foram pensados desta forma, estamos fazendo o possível para melhorar a situação”, disse.