Representantes da Prefeitura de Osasco conhecem o Empreender-JP

Por - em 25

Dois técnicos da Prefeitura da cidade de Osasco (SP) visitaram nesta sexta-feira (30) a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável da Produção de João Pessoa (Sedesp) para conhecer o funcionamento do Programa de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP). O objetivo é implantar um projeto de microcrédito semelhante no município da grande São Paulo.
 
Pela manhã, o chefe de gabinete da Secretaria de Assuntos Jurídicos de Osasco, Arthur Scatolini Menten, e o assessor da Secretaria de Finanças, Igor Jefferson Lima, conheceram a infraestrutura e as etapas do Empreender, desde a inscrição do proponente até o acompanhamento do pós-crédito.
 
Em reunião com o secretário Raimundo Nunes (Sedesp), eles foram apresentados, também, ao histórico e a situação operacional, administrativa e legal do projeto. Desde que foi criado, em 2005, o Empreender já investiu R$ 16,8 milhões em empréstimo a micro e pequenos negociantes e produtores da Capital. Os inscritos já somam 22,5 mil. Desses, 13,6 mil receberam capacitação e 7,3 mil tiveram seus empréstimos liberados.
 
Um ponto que deixamos claro é que um programa dessa natureza depende necessariamente de vontade política e do reconhecimento da sociedade, declarou Nunes. De acordo com ele, a Sedesp se colocou à disposição da Prefeitura de Osasco para auxiliar em todo o processo de implantação do projeto.
 
Depois da Sedesp, os técnicos visitaram a Secretaria Municipal de Finanças e o Controle Interno da Prefeitura. Nosso foco aqui é o aspecto formal e burocrático do programa. O próximo passo consiste na elaboração de um projeto de lei, que será apresentado à Secretaria de Finanças e, posteriormente, à Câmara Municipal, explicou um dos técnicos de Osasco, Arthur Sacatolini.
 
Na opinião dele, uma das características que chamam a atenção no programa Empreender é a simplicidade com que o projeto foi organizado. Sem perder o controle, ele garante a agilidade na liberação dos empréstimos, declarou. Todas as fases estão bem delimitadas. Não existe aqui o complexo dos bancos para concessão de crédito, complementa Igor Jefferson Lima.