Reprodução em cativeiro contribui para nascimento de 25 filhotes de jacaré

Por - em 126

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) desenvolve um trabalho de reprodução de animais em cativeiro, no Parque Zoobotânico Arruda Câmara, a Bica, localizado no bairro do Roger. O mais recente resultado dessa iniciativa foi o nascimento de 25 jacarés da espécie Caiman crocodilus, também conhecido como Jacaretinga ou jacaré-de-óculos, por causa de uma crosta ossificada em frente aos olhos.

“A reprodução em cativeiro contribui para revigorar a população de animais e manter a genética, importante para a biodiversidade. Os jacarés, por exemplo, comem os caramujos, que podem transmitir esquistossomose. Desta forma, o animal também contribui com a saúde da população humana”, afirmou Roberto Citelli, médico veterinário da Bica.

Jacarés – Os seis primeiros animais da espécie Caiman crocodilus foram enviados ao Parque Zoobotânico Arruda Câmara pelo Ibama do Estado do Ceará, no ano de 2008. Já em 2009, nasceram 15 animais. Em junho de 2011 obteve-se nova ninhada com 25 jacarés, e agora, em maio de 2012, nasceram mais 25 filhotes que estão sendo mantidos no ambulatório da Bica.  

A espécie tem ampla distribuição na América do Sul, embora seja mais comum na região Norte. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais, a espécie está classificada como pouco preocupante em relação a sua extinção.

Reprodução – Há seis anos, uma equipe formada por veterinários, bióloga, zootecnista e tratadores trabalha para contribuir com o nascimento de espécies que vivem em cativeiro, algumas delas ameaçadas de extinção. Na Bica já nasceram filhotes de Canário da terra, Jaguatirica, Macaco prego galego, Jacaré do papo amarelo e até Onça pintada.