Revistecas da PMJP incentivam hábito da leitura em João Pessoa

Por - em 49

A cidade de João Pessoa já foi contemplada com oito Revistecas e até o final do ano deve ganhar mais três pontos com o objetivo de estimular a prática da leitura. O projeto implantado no início de 2010 é uma parceria entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria de Educação (Sedec), e a Editora Abril Cultural.

As Revistecas funcionam na sede da Guarda Municipal; no Casarão 34, em frente a Praça Dom Adauto, Centro; na Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), no Distrito Industrial; na Secretaria de Gestão Governamental e Articulação Política (Segap), no Paço Municipal; e em quatro praças da Capital: Bela (Funcionários II), Nossa Senhora da Paz (Castelo Branco), Mangueiras (Alto do Mateus) e Amizade (Rangel).

Segundo a coordenadora do projeto, Crisélia Oliveira, a PMJP deve instalar mais três Revistecas até o final do ano. “As próximas unidades funcionarão na Assembleia Legislativa, na Escola Violeta Formiga, no Alto do Céu e na sede da Prefeitura Municipal, em Água Fria”, detalhou.

Cada Revisteca conta com 300 exemplares de aproximadamente 70 títulos da Editora Abril, entre gibis, livros de colorir, revistas para adultos e infantis, de acordo com Crisélia. “Para abrir o espaço nós recebemos o kit que é disposto em prateleiras e expositores e disponibilizado nos locais para acesso da população”, contou. Ela também acrescentou que o leitor pode pegar emprestado e levar pra casa até três revistas, podendo passar até uma semana com as edições.

A cada 90 dias a Editora Abril envia novos kits com novas edições das revistas para renovação do material. Crisélia afirma que as pessoas que frequentam os locais ficam ansiosas a espera dos novos exemplares. “Eles querem saber logo as novidades quando chega o material, pois além do incentivo ao hábito de ler, a Revisteca leva à sociedade entretenimento e lazer”, revelou ela, explicando que o material antigo, quando substituído, é disponibilizado para a comunidade.

Para a coordenadora, o projeto é um importante meio de promoção da leitura em espaços públicos. “É uma forma de disseminar a leitura e a cultura contribuindo para o desenvolvimento intelectual do cidadão. Através de trabalhos como este podemos mudar a realidade da violência e das drogas, por exemplo”, conscientiza.