Revistecas levam conhecimento e cultura a crianças e adultos da Capital

Por - em 46

João Pessoa tem oito espaços totalmente reservados para a leitura. São as revistecas, projeto implantado no início de 2010 e desenvolvido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) por meio da Secretaria de Educação (Sedec), em parceria com a Editora Abril Cultural. Cada revisteca conta com um acervo de aproximadamente 300 exemplares entre gibis, revistas e desenhos para pintura.

Há uma revisteca na sede da Guarda Municipal, uma no Casarão 34 (em frente a Praça Dom Adauto, Centro), uma na Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), no Distrito Industrial, e uma na Secretaria de Gestão Governamental e Articulação Política (Segap), no Paço Municipal. Há ainda em quatro praças da Capital: Bela (Funcionários II), Nossa Senhora da Paz (Castelo Branco), Mangueiras (Alto do Mateus) e Amizade (Rangel).

O acervo é substituído a cada três meses e todo o material é doado para a comunidade ou utilizado para trabalhos manuais de reciclagem. São cerca de 70 títulos da Editora Abril Cultural. A coordenadora do projeto, Crisélia Oliveira, explicou que o material vem de São Paulo e é entregue pela distribuidora Garibald. “Nós recebemos kits que são entregues, sem nenhum ônus, em cada um desses pontos. A comunidade é a grande contemplada”, disse.

Empréstimo – Os moradores são cadastrados e podem pegar o material emprestado durante uma semana. Ruan Carvalho de Lima, de 7 anos, tem parada obrigatória na revisteca, todos os dias. “É muito legal. Tem muitos gibis pra gente ler. Eu fico muito feliz porque não preciso comprar. É tudo de graça”, contou.

Segundo a avó de Ruan, Maria das Dores Cavalcanti, sempre que o neto sai da aula, passa na revisteca e pega algum gibi ou desenho para pintura. “Acho ótimo, porque assim ele mantém a mente ocupada e fica em casa. Melhor do que estar na rua”, disse.

Vitor Nairon Moreira de Araújo Marques, de 11 anos, também é cliente assíduo da revisteca. “Como eu moro em frente, todos os dias estou aqui, lendo e desenhando. Gosto de ler revistas e gibis, e também de pintar. E sou muito bem atendido”, afirmou.

Até o final do ano, o projeto se estenderá a oito escolas da rede municipal de ensino que funcionam em tempo integral. “Em setembro, queremos implantar mais um espaço de leitura. Desta vez, será na Escola Municipal Analice Caldas, no Centro, e na Francisco Edward de Aguiar, em Jaguaribe”, disse Crisélia.