Ricardo assina decreto que institui Ano Cultural Zé Ramalho

Por - em 28

Uma solenidade na tarde desta quinta-feira (25) marcou a abertura de mais um Ano Cultural, projeto desenvolvido pela Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) de João Pessoa nas escolas da rede municipal. No evento, que aconteceu no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), o prefeito Ricardo Coutinho assinou o decreto que institui o projeto ano 2010 tendo como personagem o cantor e compositor Zé Ramalho.

“A escola é uma máquina construtora do lado crítico das pessoas. A educação de boa qualidade contribui para um patamar de igualdade para os diferentes, prova disso é o desenvolvimento de grandes nações que chegaram a este nível através da educação. E é isso que a prefeitura vem fazendo, dando oportunidade para milhares de estudantes. Estamos possibilitando a efervescência dentro do ambiente escolar, para que as crianças e adolescentes olhem, raciocinem, critiquem e avancem. Estamos formando cidadãos para viver melhor coletivamente”, disse Ricardo Coutinho.

Este é o primeiro Ano Cultural da Sedec voltada para a música. O projeto foi idealizado pelo próprio prefeito e implantado nas escolas municipais em 2007. Nomes como Ariano Suassuna, o poeta José Lins do Rego, e professor e jornalista Sérgio de Castro Pinto já foram trabalhados em diversas atividades escolares, isto em todas as disciplinas. Na quarta edição do projeto, os alunos vão debater a vida e obra do cantor paraibano Zé Ramalho.

De acordo com Ariane Sá, secretária de Educação e Cultura, as escolas estão proporcionando aos alunos um universo além das disciplinas tradicionais. “É um momento das escolas conjugarem o verbo “Ser”, ou seja, o ser pensante, o ser cidadão, a essência do ser. O ano cultural favorece uma diferenciação da sala de aula e para isso, disponibilizamos as obras do artista que serão trabalhadas com o aluno. Este é o primeiro ano musical e planejamos fechá-lo com um festival de música no Ponto de Cem Réis”, comentou a secretária.

Este ano, há duas grandes novidades no projeto. Uma será a abrangência do Ano Cultural, que passa a integrar os alunos dos Centros de Referência da Educação Infantil (Creis) e também da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Ao todo, serão 92 escolas do ensino fundamental e 39 Creis. Outra mudança é a premiação. Este ano, os alunos destaque vão receber instrumentos musicais e a inserção do prêmio interdisciplinar.

Abertura – O evento foi iniciado com a exibição de um vídeo documentário sobre o compositor paraibano, material que será reproduzido e repassado para os professores trabalharem em sala de aula. Devido a agenda de shows, ele não pode estar presente a solenidade. A família Ramalho foi representada pela tia do cantor, Zélia Pordeus Ramalho e o filho dele, Antônio Galvão Ramalho. “Parabenizo a prefeitura de João Pessoa e ao mesmo tempo agradeço essa homenagem. Conheci o projeto hoje e achei fantástico. A família Ramalho está à disposição para contribuir com este projeto”, frisou Zélia.

Em suas palavras, o também cantor e compositor paraibano Chico César, que é diretor executivo da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), destacou a importância do projeto Ano Cultural, onde as crianças aprendem na escola algo mais que as matérias tradicionais. “A escola é um fórum de diversidades, um lugar para encontrar nossos caminhos e este projeto faz com que os alunos despertem para o gosto crítico das coisas”, definiu o diretor da Funjope.

Sobre a escolha do personagem, Chico César afirmou: “ Zé Ramalho tem um talento imenso e foi pioneiro na produção independente. Vamos trabalhar a obra do artista do começo, começar dos frutos para chegar até as raízes, pois desta forma os alunos terão a oportunidade de conhecer a força e o dinamismo que esse paraibano representa. Ele é um artista que construiu algo que é patrimônio de nós todos”.

Nessa proposta de valorização e estímulo da produção intelectual, a Prefeitura de João Pessoa fez a entrega dos prêmios referente ao Ano Cultural Sérgio de Castro Pinto, trabalhado nas escolas durante todo o ano de 2009. Receberam computadores os estudantes Vinícius Henrique Menezes, do 4° ano da Escola Municipal Padre Leonel da Franca (aluno destaque pelo 1° segmento ensino fundamental) e Maria Fernanda Pereira, do 6° ano da Escola João XXIII (aluna destaque pelo 2° segmento do ensino fundamental).

Já os professores orientadoras Maria de Lourdes Gomes e Hermano França ganharam um aparelho de MP4. Duas escolas ganharam, cada uma, um datashow. A gestora Nivanete Rodrigues, da Escola Dr. José Novais, foi premiada pelo projeto ‘Poesia na Escola: escrever criando’, e a gestora Jane Leal Pinto, da Escola Padre Pedro Serrão, desenvolveu o projeto ‘A poesia de Sérgio de Castro’.