Ricardo inaugura Centro de Formação e Casa de Acolhida

Por - em 43

O Centro de Formação Margarida Pereira da Silva e a Casa de Acolhida Feminina foram inaugurados na tarde desta quinta-feira (14) pelo prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB). As duas unidades, instaladas na ladeira de São Francisco, no Centro da Capital, compõem a Política de Proteção Social Especial de Alta Complexidade desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

Diariamente, o Centro de Formação vai oferecer atividades ludo-pegagógicas, esportivas, de escolarização e inclusão digital às 35 crianças e adolescentes das unidades de acolhimento administradas pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP). Já a Casa de Acolhida se destinará, especificamente, ao atendimento de meninas em situação de risco e rua em João Pessoa. A casa tem em sua estrutura com quartos, cozinha, sala de TV e recreação, banheiros e área de serviço para atender até 16 meninas com idades entre 7 e 18 anos.

O descerramento da placa foi feito pelo prefeito Ricardo Coutinho, servidores e beneficiários das duas unidades. Em seguida, um grupo de adolescentes apresentou performances de hip hop. O adolescente Humberto Brussulo Ahualli ressaltou que o Centro de Formação Margarida Pereira da Silva é um espaço bom para os meninos e meninas, mas aproveitou para pedir alternativas de ocupação e trabalho para os adolescentes que chegam à maioridade.

O prefeito Ricardo Coutinho afirmou que o Governo Municipal tem que dar respostas consistentes à problemática dos meninos e meninas em situação de risco e rua. “Nós estamos conseguindo dar respostas qualificadas ao problema. O que esperamos é que este Centro se torne uma referência forte para que a população desta cidade perceba a importância desse trabalho desenvolvido aqui, onde esses meninos e meninas terão acesso aos bens base para a cidadania, além do contato com ferramentas impensáveis de não se conhecer no mundo de hoje como a informática e Internet”, disse.

As unidades de acolhimento são um marco da atual gestão, previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA.) e na Política Nacional da Assistência Social para a garantia de direitos a esse público.