Ricardo recebe prêmio em Brasília por preservar patrimônio histórico

Por - em 24

O prefeito Ricardo Coutinho (PSB) participa nesta quarta-feira (14), às 20h, em Brasília, da cerimônia de entrega do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A Capital paraibana venceu na categoria ‘Apoio Institucional e/ou Financeiro’, com o desenvolvimento do ‘Programa Integrado de Preservação do Patrimônio Cultural de João Pessoa’. A cerimônia de premiação será realizada na Sala Villa-Lobos, do Teatro Nacional Cláudio Santoro.

Segundo Fernando Moura, da Coordenadoria do Patrimônio Cultural (Probech-JP), com o reconhecimento do Iphan, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) mostra a grandeza dos investimentos realizados na preservação do patrimônio cultural, material e imaterial da cidade. “Com esse Prêmio o Brasil diz através do Iphan que João Pessoa está no caminho certo”, ressaltou.

Na avaliação do coordenador da Probech-JP, um dos pontos mais importante é a visibilidade que a Capital paraibana vai desfrutar no âmbito nacional e internacional. “O Prêmio abre perspectivas de divulgação e turismo”, disse, lembrando que o grande mérito do ‘Programa Integrado de Preservação do Patrimônio Cultural de João Pessoa’, que teve como ponto de partida o convênio firmado com a Espanha, possibilitando a criação da oficina-Escola, Comissão do Centro Histórico e a Probech, é o caráter permanente. “As ações desenvolvidas ao logo dos últimos quatro anos mostram que João Pessoa vem se preparando para manter e preservar seus bens históricos, e o uso é a melhor garantia de preservação”, afirmou.

Projetos – A Comissão Nacional de Avaliação, que apontou os vencedores deste ano, foi presidida por Isabella Adeira, coordenadora geral de Difusão e Projetos da Diretoria de Articulação e Fomento, e composta por 15 integrantes. Este ano, a Comissão analisou 67 projetos em sete categorias. Foram premiados participantes nas áreas de educação patrimonial, divulgação, pesquisa e inventário de acervos, preservação de bens móveis e imóveis, salvaguarda de bens de natureza imaterial e proteção do patrimônio natural e arqueológico.

Nos anos anteriores, os premiados na categoria institucional foram o Instituto de Pesquisas Etno-Ambiental do Xingu/Ipeax, em Camarana, no Mato Grosso (2008); Instituto Homem Pantaneiro, em Corumbá, no Mato Grosso do Sul (2007); Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006); Associação Pró-Reforma, em Bananal, São Paulo (2005); e a empresa Sol Informática, de Belém, no Pará.

O Prêmio – Criado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, vinculado ao Ministério da Cultura, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade é um reconhecimento a ações de proteção, preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro, e foi assim denominado em homenagem ao primeiro dirigente da instituição.

O Prêmio é oferecido anualmente a empresas, instituições e pessoas de todo o país e procura estimular e valorizar todos aqueles que atuam em favor da preservação do patrimônio cultural brasileiro. Constituído de um troféu, um certificado e um valor em dinheiro, a ser descontada a obrigação tributária para pessoa física ou pessoa jurídica, ele está dividido em sete categorias: Apoio Institucional e/ou Financeiro, Divulgação, Educação Patrimonial, Pesquisa e Inventário de Acervos, Preservação de Bens Móveis e Imóveis, Proteção do Patrimônio Natural e Arqueológico e Salvaguarda de Bens de Natureza Imaterial.