Rita Lee, Antônio Nóbrega e Orquestra Sanhauá animam réveillon de JP

Por - em 71

A noite de réveillon na Capital será animada pelo rock da cantora Rita Lee, considerada um dos maiores nomes do gênero no país, que sobe ao palco instalado próximo ao Busto de Tamandaré, entre as praias de Cabo Branco e Tambaú, logo após a tradicional queima de fogos. Antes, por volta das 10h, o público pode conferir o violinista Antonio Nóbrega, reconhecido pela musicalidade e performance lúdica, inspirada nas artes circenses. Após o show de Rita Lee, a Orquestra Sanhauá anima o público com muito frevo até a chegada dos primeiros raios de sol de 2012, numa promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) por intermédio da sua Fundação Cultural (Funjope).

As pessoas que chegarem mais cedo à orla, também poderão participar das apresentações da cultura popular, que têm inicio às 18h, em dez tendas espalhadas ao longo da praia de Tambaú. Mais de 20 grupos populares da Capital e de outras cidades paraibanas vão se apresentar na festa.

Queima de Fogos – Nos primeiros segundos de 2011, as atenções estarão voltadas para o céu, quando acontece um show de luzes e cores na já tradicional queima de fogos de artifício. Para a segurança do público, os fogos serão colocados em uma balsa, acompanhada de outra embarcação, ambas a cerca de 400 metros de distância da praia.

Doce Vampiro – Rita Lee prometeu realizar um belo show na capital paraibana, concebido especialmente para este momento. A artista escolhe o repertório dos seus shows de acordo com o humor do dia, mas garante sempre cantar as mais esperadas pelo público, como Ovelha Negra, Lança Perfume ou Doce Vampiro. A cantora, compositora, atriz e instrumentista paulista Rita Lee tem 45 anos de carreira e é denominada a Rainha do Rock Brasileiro. Integrou os grupos Os Mutantes (1968-1973) e Tutti Frutti (1973-1978), seguindo depois em carreira solo.

‘Madeira que Cupim Não Rói’ – Natural da cidade de Recife (PE), Antonio Nóbrega estudou violino clássico e canto lírico, chegando a tocar em orquestra. Nos anos 70 participou do Quinteto Armorial, com o qual gravou quatro discos e excursionou pelo mundo divulgando a música tradicional nordestina. A partir de 1976 começa a conceber seus próprios espetáculos, misturando dança, artes cênicas e música, participando na década de 80 de festivais de teatro. Na década de 90 realizou os espetáculos ‘Figural’, ‘Brincante’ e ‘Segundas Histórias’, os dois últimos estrelados por seu personagem Tonheta, uma mistura de clown e vagabundo que cativa o público. No final da década passou a se dedicar mais à pesquisa musical, e lançou em CD os shows ‘Na Pancada do Ganzá’ – baseado na viagem etnográfico-musical de Mário de Andrade pelo Brasil, e ‘Madeira que Cupim Não Rói’.

Orquestra Sanhauá da Paraíba – Mais uma vez, o público pessoense e os visitantes vão ter a oportunidade de dançar muito frevo para encerrar a noite e receber o novo ano em grande estilo, com a participação da Orquestra Sanhauá da Paraíba. O grupo é formado por músicos profissionais da Paraíba com o objetivo divulgar a música instrumental brasileira, dando ênfase à música nordestina bem como seus arranjadores e compositores.