Rock dá o tom da abertura do Festival Mundo neste sábado

Por - em 19

O público paraibano terá neste fim de semana mais opção de lazer com shows, exposições, mostras audiovisuais e feiras culturais. Tudo isso na sexta edição do Festival Mundo, que acontece neste sábado (13), domingo (14) e segunda-feira (15), quando artistas locais, nacionais e internacionais de diversos gêneros irão se reunir para mostrar toda sua produção. O festival, que tem o objetivo de divulgar a produção de arte e música independente, acontece na Usina Cultural Energisa, com entrada gratuita, e tem o apoio da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através de sua Fundação Cultural (Funjope).

No sábado (13) sobem ao palco as bandas ‘Violator’, Madness Factory’, ‘Desalma’, ‘Wado’, ‘Pedecoco’, ‘A banda de Joseph Tourton’, ‘Ubella Preta’, ‘Varadouro Groove Orchestra’ e a argentina ‘Falsos Conejos’. As apresentações musicais terão início a partir das 16h.

A grande atração da noite será o trio argentino ‘Falsos Conejos’, que toca rock experimental e psicodélico, com influências de post e math-rock. O grupo subirá ao palco às 19h. No ano passado, o show dos ‘Conejos’ foi eleito um dos dez melhores pela imprensa musical independente de Buenos Aires. O grupo, que promete conquistar o público paraibano, nasceu em Buenos Aires em 2006 e, de acordo com seus integrantes, o post-rock, math-rock e outros termos similares não são suficientes para descrever a sua estética sonora.

Eles preferem dizer que sua música é uma composição de baixo, guitarra e bateria, onde cada instrumento cumpre distintas funções a cada instante e consegue compor uma paisagem especial em que a melodia não tem um papel de destaque. Chega um momento em seu espetáculo que fica difícil distinguir, de forma clara, quem é que narra a história.

A banda de rock instrumental de Recife (PE) ‘Joseph Tourton’ se apresenta às 17h30. Os jovens músicos Gabriel Izidoro e Diogo Guedes (guitarristas e multi instrumentistas), Pedro Bandeira (bateria) e Rafael Gadelha (baixo) prometem encantar o público pessoense com seu rock instrumental, que mistura jazz, rock, guitarras distorcidas, música brasileira e toques eletrônicos. O nome do grupo, Joseph Tourton, foi inspirado em um suposto aviador da Segunda Guerra Mundial.

“Vamos fazer nossa primeira apresentação em João Pessoa e estamos muito felizes que seja no Festival Mundo. Para esse show, vamos apresentar uma parte das músicas do nosso primeiro álbum recém-lançado, como ’16 minutos Lembra o que?’, ‘100m’, ‘Aquaplanagem’, ‘Provolone’, ‘O Triunfo de Salomão’, ‘Volta-seca’ e ‘After work ganja”, destacou Gabriel Izidoro, guitarrista da banda.

Outra atração da noite será a banda pessoense ‘Ubella Preta’, que irá apresentar um repertório com músicas autorais, entre elas, ‘Into Água de Jamaica’, ‘Nas Águas do Roger’, ‘Savana Grossman’, ‘O Velho’, ‘Sincinaty’, ‘Moicanus Soleitk’, ‘Futuro do Silício’ e ‘Vela de 7 dias’. A banda irá subir ao palco às 16h45.

Composta por David Neves (guitarra, teclados e samples), Felipe Nicolau (baixo e efeitos) e CH Malvez (bateria e cowbell), a banda surgiu no cenário local em 2009. De acordo com seus integrantes, a ‘Ubella Preta’ é defensora da música, do que ela oferece, do seu estado lúdico transcendental, das suas ideias subversivas e do prazer coletivo que ela insiste. Submergido por improvisações, trilhas sonoras, ruídos, HQ’s e engenharia, o grupo desliza pelo som inusitado, pelo imprevisto e pelos feedbecks atomizados entre banda e expectador e pela transgressão do rock and roll, do jazz e do prazer da dança.

“Faremos uma apresentação no Festival Mundo com muita honra e prazer. Como todos os envolvidos, estamos engajados com a questão cultural da cidade e sua consolidação, onde aqui na Capital tem um movimento formado, ganhando espaço. A expansão desta realidade precisa romper suas fronteiras, para que não haja mais barreiras entre o som e a percepção. ‘Ubella Preta’ está preparando algo novo para o dia do evento, onde outras linguagens adentrarão na performance”, frisou o guitarrista da banda, David Neves.

Durante todo o festival, diversos artistas irão passar pelo palco principal da Usina Cultural, além das apresentações na sala de Multimídia e vernissage da Exposição “V”. Na Feira Cultural, stands serão montados com discos, artigos de moda, quadrinhos e cinema. Já na formação das mesas redondas e oficinas, convidados especialistas irão discutir, juntamente com produtores, músicos, artistas e o público, novas formas de produção, a conjuntura atual do mercado e suas diversas áreas e ações já desenvolvidas que impulsionam o ramo da cultura.