Sabadinho Bom tem edição especial em homenagem a Jackson do Pandeiro

Por - em 71

O projeto Sabadinho Bom terá uma edição especial neste sábado (1º), com três atrações. Isto porque o projeto Corredor Cultural não vai ocorrer neste final de semana, e o grupo Luar do Sertão, que iria se apresentar no evento, também vai tocar na Praça Rio Branco, às 15h.

Antes disso, o Brasil Sonoro abre o evento, ao meio dia, tocando seu tradicional chorinho, e o grupo As Bastianas encerra a maratona musical, às 16h, com muito forró pé de serra. O Sabadinho Bom é promovido pela Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e tem entrada franca.

A alteração no local do show vai unir o público dos dois eventos em uma grande confraternização, que também terá como homenageado o paraibano Jackson do Pandeiro, cujo repertório será apresentado pelo grupo Luar do Sertão. O Rei do Ritmo ganha nesta sexta-feira (31) uma estátua no local do evento.

Grupo Brasil Sonoro – Mantendo-se firme na proposta de tocar música instrumental brasileira, o Grupo Brasil Sonoro tocará um repertório capaz de emocionar e animar o público pessoense. Fazem parte da composição do grupo Beto do Bandolim (bandolim), Alberto Guimarães (violão de sete cordas), George Rocha (percussão) e Nelson Brederode (cavaquinho).

Luar do Sertão – A memória do cancioneiro popular permanece viva há 17 anos nas apresentações do grupo, que faz parte do Clube do Choro da Paraíba. Neste sábado, os músicos Jerônimo Pedro Florentino (violão de sete cordas), Mário Justiniano Rodrigues (Bandolim), Gilberto Santos de Lucena Júnior (cavaquinho), Luiz Rodrigues de Santana (Lula do pandeiro) e Maria da Penha Franco (vocalista) farão uma homenagem especial a Jackson do Pandeiro.

Além das canções de Jackson, o repertório do grupo conta também com choros de grandes mestres, como Pixinguinha e Waldir Azevedo.

As Bastianas – Surgido em março de 1999, nas salas de aula da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), o grupo é composto por meninas que cantam, dançam e encantam plateias de todas as idades e em todas as partes do mundo, remetendo o público às raízes culturais dos forrós, cocos, cirandas, maracatus, toadas, aboios e emboladas.