Sábado é dia de vacinação contra a pólio e a rubéola

Por - em 29

Toda a família pessoense já sabe: neste sábado (9), as crianças menores de cinco anos devem receber a segunda dose da vacina contra a pólio e os adultos entre 20 e 39 anos devem receber a vacina contra a rubéola. O município de João Pessoa fará a abertura oficial da campanha às 8h30, na Unidade de Saúde da Família São José (USF), lembrando aos moradores a importância de tomarem as vacinas. O ‘Dia D’ de Vacina contra a Pólio e Rubéola acontecerá durante o sábado, das 8h às 17h nas USFs, centros de saúde e em postos móveis instalados em hospitais, shoppings e rodoviária.

Em relação à poliomielite, a meta da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é vacinar 52.658 crianças, sendo 10.606 menores de um ano e 42.052 entre um a quatro anos. Na primeira etapa da vacinação contra a pólio, realizada no dia 16 de junho deste ano, o município superou a meta com a utilização de 50.596 doses, atingindo uma cobertura de 96% das crianças nesta faixa etária.

Já a rubéola faz parte de outra campanha nacional, que se estenderá até o dia 12 de setembro, cuja meta é vacinar 247 mil pessoas entre 20 a 39 anos. O objetivo da campanha é interromper a transmissão endêmica da rubéola, além de eliminar a rubéola e a Síndrome da Rubéola Congênita até 2010 no Brasil. No País, no ano de 2006 os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais apresentaram surtos de rubéola e em João Pessoa, no ano de 2007, foram confirmados 50 casos dessa doença. Em 2008 já houve a notificação de 31 casos, com apenas quatro deles confirmados.

Sintomas da rubéola – É uma doença viral e de alta contagiosidade que se caracteriza por apresentar manchas róseas que se inicia na face, no couto cabeludo e pescoço, espalhando-se pelo corpo. A doença tem uma evolução benigna e raramente apresenta complicações, mas é perigosa durante a gravidez, pelo risco de malformações crônicas no feto e no recém nascido.

Sobre a pólio – A poliomielite é uma doença infecto-contagiosa viral aguda que pode provocar a paralisia dos membros inferiores ou até levar a morte. O vírus se instala e se multiplica no tubo digestivo e logo pode invadir o sistema nervoso central e atacar as células motoras. O último caso da poliomielite no País aconteceu em 1989 no município paraibano de Sousa e, desde então, a doença está erradicada no Brasil por conta das consecutivas campanhas promovidas pelo Ministério da Saúde.