Samu da Capital contabiliza mais de 10 mil trotes em 2009

Por - em 23

Vidas Humanas podem deixar de ser salvas. Este é o principal prejuízo que a população pode ter por causa dos trotes passados para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Em 2009, dos aproximadamente 45 mil chamados para o serviço, mais de 10 mil foram trotes, o que significa que 24% das ligações recebidas eram apenas uma brincadeira de mau gosto.

De acordo com um levantamento realizado pelo Samu, das 44.728 pessoas que procuraram o serviço no primeiro trimestre de 2009, 10.541 estavam apenas passando um trote. O problema é quando esse trote não é identificado e o operador desloca uma unidade para o atendimento ou quando a linha fica ocupada, impedindo que um socorro verdadeiro seja solicitado.

“Os trotes menos elaborados causam o congestionamento da central telefônica, os mais elaborados, geralmente passados por adultos e adolescentes, muitas vezes com mais de acionamento para o 192, causa o deslocamento da ambulância para a falsa ocorrência, podendo deixar de atender a uma ocorrência real e urgente”, comentou Roberta Abath, coordenadora do Samu.

Roberta disse ainda que o período das férias escolares é o mais crítico do ano, por conta da presença das crianças em casa. Por isso, o Samu pede que os pais orientem seus filhos sobre a conseqüência de passar trotes para um serviço de saúde. “Vidas Humanas podem ser perdidas por causa desse tipo de brincadeira”, disse.