Samu de JP recebe capacitação e já opera com a Tele-Medicina

Por - em 35

O Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (28) o lançamento do programa em Tele-Medicina, que pretende equipar, até o final do ano, 450 ambulâncias do Serviço de Atendimento de Urgência e Emergência (Samu) com kits que irão permitir a análise de eletrocardiogramas em poucos minutos, diagnosticando o paciente antes que ele seja levado ao hospital. Em João Pessoa, profissionais do Samu Metropolitano receberam o treinamento para operar o equipamento no final de 2009 e já realizaram 30 eletrocardiogramas utilizando a nova tecnologia.

A capacitação foi promovida pelo Ministério da Saúde e por uma equipe do Hospital do Coração de São Paulo (HCOR). Realizado no auditório do Centro Administrativo Municipal (CAM), o curso trouxe orientações sobre como utilizar a nova tecnologia de transmissão via ondas de rádio, a Tele-eletrocardiologia.

Atendimento ágil – Os médicos do Hospital do Coração também apresentaram a nova aparelhagem para fazer os eletrocardiogramas. O treinamento teve o objetivo de capacitar enfermeiros e médicos do Samu para a utilização da nova tecnologia de transmissão de dados do paciente em tempo real, à distância, via internet.

Cada um desses kits terá um tele-eletrocardiógrafo portátil, que vai poder transmitir o exame via sinal sonoro, por um celular ou telefone fixo. O eletrocardiograma é analisado na Central de Tele-medicina do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo. De acordo com o Ministério da Saúde, 16 médicos se revezarão durante 24 horas na Central.

Quando um paciente solicitar o serviço do Samu para diagnosticar algum problema cardíaco, a equipe irá até o local e, por meio da internet, instalada na ambulância, poderá enviar os dados, em tempo real, para o Hospital do Coração em São Paulo. Em até 5 minutos, o resultado preciso chegará aos profissionais, que poderão encaminhar o paciente para atendimento especializado. No total, serão disponibilizados quatro equipamentos para ambulâncias de suporte avançado em João Pessoa.

Para o cardiologista e orientador da capacitação em João Pessoa, Hélio Penna, a doença cardiovascular é a que mais mata no Brasil. “Com esta nova tecnologia que estamos implantando em todo o País, esperamos otimizar o atendimento às vítimas de problemas cardíacos, encurtar o tempo de espera do socorro e diminuir as mortes” disse Hélio Penna, lembrando que o diagnóstico correto pode ser a diferença entre a vida e a morte de um paciente. “Com as informações corretas chegando de forma tão rápida, os profissionais podem socorrer as vítimas aos hospitais referência em atendimento cardiovascular”, finalizou.