São João da Capital começa nesta sexta com cantoria, orquestras e As Bastianas

Por - em 100

A cantoria de viola de João Paulo Bento e Pedro Firmino, o forró da Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste, Meire Lima, As Bastianas e o som da Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (PE) abrem, nesta sexta-feira (22), a edição 2012 do ‘São João de João Pessoa – O Melhor da Gente’, que será realizada até o dia 29 deste mês, no Ponto de Cem Réis. O evento é promovido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Fundação Cultural (Funjope), e este ano homenageia o centenário do “Rei do Baião”, Luiz Gonzaga, e também a cantora pernambucana, radicada na Paraíba, Marinês, “A Rainha do Xaxado”.

As apresentações começam a partir das 18h, com o show de João Paulo Bento e Pedro Firmino, no palco da Cultura Popular. Às 20h, também na programação da Cultura Popular, Meire Lima promete muito forró. “O público pode ir preparado para dançar,” disse a cantora, que no repertório vai apresentar clássicos como “Feira de Mangaio” e “Forró do Xenhenhém” e outras músicas de Sivuca, Antônio Barros e Cecéu, e Pinto do Acordeon.

Natural de Itabaina, morando em João Pessoa há 30 anos, cantado há 13 e fazendo forró desde 2002, Meire Lima também vai cantar as canções que estarão no seu próximo CD, que está em fase de gravação, como “Vou Deixar”, de Chico Bezerra, “Fia Felícia”, de Bira Marcolino e “Peito em Desaninho”, de Bebé de Natércio. “A expectativa é a melhor possível para o show”, afirmou a artista.

Orquestra Sanfônica – Abrindo os shows no palco principal, às 19h, a Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste vai apresentar um repertório com canções de Luiz Gonzaga e contar com a participação de Mahatma Costa, executando as músicas “Quando me Lembro”, de Lupércio Miranda, “Saxofone porque Chora”, de Ratinho, e “Tico-tico no Fubá”, de Zequinha de Abreu.

Da obra do “Rei do Baião”, o público vai poder conferir “Paraíba” (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira); “Pau de Arara” (Luiz Gonzaga / Guio de Moraes); “A Volta da Asa Branca” (Zé Dantas / Luiz Gonzaga); “Cintura Fina” (Zé Dantas / Luiz Gonzaga); “Sabiá” (Luiz Gonzaga / Zé Dantas); “Asa Branca” (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira); “Assum Preto” (Luiz Gonzaga / Humberto Teixeira) e “Olha pro Céu” (Luiz Gonzaga / José Fernandes).

Atualmente composta por 15 músicos experientes e alunos da Escola de Música Mestre Dominguinhos, escola esta que oferece aulas de acordeon, violão e teoria musical e que é mantida pela Associação Balaio Nordeste, através de projetos e contribuição dos seus associados, a Orquestra Sanfônica Balaio Nordeste teve origem em uma oficina de acordeon realizada pela Associação Balaio Nordeste e a Funjope, em março de 2010.

Com diversas modificações na formação desde seu início, foi em janeiro de 2012, após a entrada do maestro Lucilio Souza, que a Orquestra adquiriu identidade e vem se firmando como um dos produtos culturais mais genuínos e expressivos da música nordestina, com arranjos próprios e produção musical feita pelo próprio maestro.

As Bastianas – Às 21h, o forró fica por conta de As Bastianas, com um repertório que vai contar um pouco da história do grupo, que comemora 13 anos de muita música regional, e homenagear Luiz Gonzaga e Marinês. “Vamos tocar ‘Sala de Reboco’, por exemplo, e muitas outras músicas que marcaram época, sem esquecer a ciranda de roda e o coco”, disse a vocalista Angélica Lacerda.

Segundo Angélica Lacerda, o show vai ser para dançar forró e cantar grandes sucessos do grupo, entre eles “Saudade Danada”, “Prenúncio de Sabiá” e “Esquisitice”. 

Bomba do Hemetério – Fechando a primeira noite do ‘São João de João Pessoa – O Melhor da Gente’, às 22h30, a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério (OPBH) apresenta o show ‘Fole Assoprado’, resultado de um trabalho de cinco anos de releitura do som do fole da sanfona para instrumentos de “assopro”, realizado pelo Maestro Forró, onde a Orquestra se propõe ao desafio de executar músicas específicas do forró, sem a tradicional sanfona.

“É uma orquestra junina que une tradição, inovação e competência técnica à alegria e espontaneidade. O resultado é um timbre que resgata sonoridades esquecidas como a tuba, sem perder de vista a interação dos instrumentos acústicos com os elétricos”, explicou o Maestro.

No repertório do show, pérolas de mestres como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Sivuca. Há ainda quatro músicas autorais, como “Dona Nena tem Razão”, originalmente composta pelo Maestro em frevo e tocada naturalmente como um forró, mudando apenas o ritmo e o andamento. E ainda “Vamos cirandar”, ciranda que pontua o talento do Maestro no eixo da poesia cantada, característica pouco conhecida do grande público.

Formada em 2002, a OPBH é um dos mais respeitados grupos da nova cena musical de Pernambuco. Sem a preocupação de rotular a sua música e se enquadrar em qualquer estilo musical, o grupo vem conquistando cada vez mais elogios do público e da crítica especializada; por apresentar arranjos fora dos padrões das orquestras tradicionais, unindo características eruditas e populares.

Outro diferencial nos shows é que, além da qualidade técnico-musical da Orquestra, o Maestro dialoga de forma contagiante com os músicos e provoca uma profunda interação com a plateia. A OPBH toca, canta, dança e “faz teatro” em comunicação direta com o público, que corresponde e participa dos shows.

Confira a programação completa do São João:

Local: Ponto de Cem Réis (Centro Histórico de João Pessoa)

22/06 (sexta-feira)

18h – Cantoria de viola, com João Paulo Bento e Pedro Firmino (cultura popular)

19h – Orquestra Sanfônica do Balaio Nordeste – Tocando Luiz Gonzaga (palco)

20h – Forró com Meire Lima (cultura popular)

21h – As Bastianas (palco)

22h30 – Orquestra da Bomba do Hemetério (palco)

23/06 (sábado)

18h – Dupla de aboiadores Zé Val e Dedé de Salgado (cultura popular)

19h30 – Forró Kintura Nordestina (cultura popular)

21h – Renata Arruda (palco)

22h – Genival Lacerda (palco)

23h – Nando Cordel (palco)

24/06 (domingo)

18h – Dupla de emboladores Zezinho e Carlos Batista (cultura popular)

19h30 – Alexandre Pé de Serra (cultura popular)

21h – Ripa na Chulipa (palco)

22h30 – Antonio Barros e Cecéu (palco)

25/06 (segunda-feira)

18h – Coco de Roda do Mestre Benedito (cultura popular)

19h30 – Marluce Forrozeira (cultura popular)

21h – Clã Brasil (palco)

22h30 – Alceu Valença (palco)

26/06 (terça-feira)

18h – Coco de Roda Novo Quilombo de Gurugi (cultura popular)

19h30 – Chameguinho do Forró (cultura popular)

21h – Forró Caçuá (cultura popular)

22h30 – Trio Nordestino (cultura popular)

27/06 (quarta-feira)

18h – Penha Cirandeira (cultura popular)

19h – Forró da Mala (cultura popular)

20h – Fuba de Taperoá (palco)

21h – Pinto do Acordeon (palco)

22h30 – Dejinha de Monteiro (palco)

28/06 (quinta-feira)

18h – Ciranda do Sol (cultura popular)

19h30 – Amigos do Forró (cultura popular)

21h – Swing Nordestino (palco)

22h30 – Santanna (palco)

29/06 (sexta-feira)

18h – Ciranda Tupinambá, do Mestre Carboreto (cultura popular)

19h30 – Flor de Caruá (cultura popular)

21h – Os Três do Xamego (palco)

22h30 – Flávio José (palco)