São João: festa ganha igrejinha feita de material reaproveitado

Por - em 38

O Centro Histórico de João Pessoa receberá durante as festas juninas uma igrejinha que tem como base o reaproveitamento de materiais. A estrutura objetiva garantir um cenário interiorano às festas, chamar a atenção para a preservação do meio ambiente e foi confeccionada pelos artesões e artistas plásticos da Oficina de Artes da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur). A igrejinha será montada no Largo de São Pedro e poderá ser vista a partir do deste sábado (21), data de abertura do ‘São João de João Pessoa – O melhor da gente’.

Como não poderia ser diferente, a igrejinha terá como base de decoração santos católicos, que serão expostos em um altar. Estão sendo confeccionadas imagens de São João, São Pedro e Santo Antônio, tradicionais nesta época do ano, de papelão, estopa, plástico e jornal, cuidadosamente pintados. As peças mais parecem que foram talhadas em madeira e chamam a atenção pela perfeição e riqueza dos detalhes.

A estrutura
– Para montar a igrejinha, que tem seis metros de altura por seis metros de largura, foram usados os seguintes materiais: pedaços de madeirite, jornal e papelão. A estrutura foi pintada de uma forma que parece ter sido feita de tijolo aparente. Ela tem janelas que permitem aos visitantes conferir a decoração interna e ainda um sino confeccionado em isopor, papelão e jornal.

O que chama a atenção na estrutura é uma luminária toda feita com sacolinhas de picolé (dindim) cheias de água. Os saquinhos são agrupados e mais parecem cristais quando a luz é refletida. A igrejinha ainda terá imagens sacras, móveis feitos de jornal, oratório de papelão, entre outros objetos de decoração.

O trabalho de confecção e montagem está sendo desenvolvido por dez servidores da Emlur, que trabalham na Oficina de Artes. No ano passado, a Autarquia levou para a festa de São João uma casinha de taipa, que tinha como base material reciclável. A estrutura foi decorada com objetos bem característicos das casinhas do interior, a exemplo de um pilão todo feito de papelão; gaiolas com passarinhos que tinham como base pet, papelão e jornal; potes de água, utensílios como colheres e garfos, entre outros.

Limpeza – Além de colaborar com a ornamentação da festa, a Emlur montou um esquema especial para que o ‘arraiᒠpermaneça limpo durante as festividades. O diretor de Operações da Emlur, Orlando Soares, destacou que o Centro Histórico está recebendo um cuidado especial para poder acolher a festa junina. Todo o trabalho, que envolve ações de varrição, capinação, roço e pintura de meio-fio será concluído nesta sexta-feira (20). “Além da limpeza do local onde ocorrerá a festa, foi dada uma atenção especial a toda região do entorno, que dá acesso ao evento”, acrescentou.

Durante os dias de evento, segundo contou o diretor de Operações, a Emlur manterá diariamente 60 agentes de limpeza para cuidar do local. “Os servidores se revezarão durante todo o dia, trabalhando em sistema de plantão, para que o Centro Histórico fique bem cuidado e as pessoas possam aproveitar a festa em um espaço limpo”, comentou.