Inclusão digital e CRC’s (parte 2)

As entidades responsáveis pela condução dos CRCs, enquanto instâncias executoras do Programa CI, atuaram na estruturação dos espaços físicos dos centros, na contratação de profissionais, na mobilização de parceiros, na definição dos fluxos internos de funcionamento do processo de recuperação dos computadores, na concepção dos conteúdos e dos recursos didáticos, e na oferta de formação. Como parte do processo de recondicionamento de equipamentos, os jovens atendidos nos centros puderam se apropriar dessas tecnologias, principalmente em temas relacionados à manutenção e configuração de hardware e software, e também resgatando sua auto-estima e ampliando seus horizontes educacionais, profissionais e de cidadania.

Com 6 (seis) CRCs implantados, até o mês de setembro de 2012, foram mais de 59 mil computadores recebidos em doações de órgãos e entidades da Administração Pública Federal, Estadual e Municipal, bem como de pessoas físicas e jurídicas. Ao todo, foram apoiados mais de 870 (oitocentos e setenta) projetos de inclusão digital em todo o território nacional que receberam mais de 11mil equipamentos de informática recondicionados. Além disso, houve a capacitação de mais de 4.500 (quatrocentos e quinhentos) jovens desde a inauguração do primeiro CRC, em 2006.

Apesar de significativos, os números mostram que o reaproveitamento dos computadores usados para iniciativas de inclusão digital realizado pelo Programa CI não tem sido proporcional à demanda em escala nacional. A capacidade de seleção de entidades beneficiárias, de recondicionamento, de entrega dos equipamentos em todo o território nacional e, principalmente, de acompanhamento do uso dos computadores doados esteve aquém da necessidade dos telecentros, escolas e outros projetos de inclusão digital.

No entanto, em cada CRC, além de desenvolverem habilidades técnicas na recuperação dos computadores, os jovens cursistas se apropriam das TICs de maneira eticamente responsável e emancipatória, sendo estimulados a refletir sobre cidadania, consumo consciente e responsabilidade socioambiental. Como desdobramento do processo de recuperação de computadores, também realizam atividades criativas de reutilização de partes e peças, incluindo oficinas de robótica, eletrônica e produção de artesanato a partir da sucata – Metarreciclagem. Além de desenvolver a capacidade técnica e intelectual dos jovens, estas atividades contribuem para aumentar sua consciência em relação aos resíduos eletroeletrônicos e à necessidade de seu correto manejo e disposição final.

Desta forma, mais do que promover o reuso social das máquinas, a execução do Programa CI produziu resultados quantitativos e, sobretudo, qualitativos de destaque na formação técnica e social dos jovens envolvidos. A riqueza dos processos de ensino-aprendizagem proporcionados pelas oficinas e vivências nos CRCs permitiu aos jovens o alcance de novas oportunidades e, como consequência, a conquista de novos patamares de cidadania.

Fonte: Ministério das Comunicações / Governo Federal

Publicado em Institucional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Inscrições On-line

Clique para fazer a sua inscrição!

Clique para fazer a sua inscrição!

Arquivos