Secretaria de Saúde inicia vacinação contra HPV nas escolas e na rede SUS

Por - em 283

d r t . r j . 15855.

Para ampliar a assistência de prevenção e promoção à saúde, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) começa, a partir desta segunda-feira (24), a vacinar crianças e adolescentes contra o papilomavírus humano, o HPV. O chamamento para vacinação acontecerá nas escolas da rede municipal e privada, mas as vacinas também estão disponíveis nas Unidades de Saúde da Família (USFs) e no Centro Municipal de Imunização (antigo Lactário da Torre), que funciona na Avenida Rui Barbosa, S/N, Torre.

De acordo com Fernando Virgolino, chefe da Seção de Imunização, em João Pessoa a meta de vacinação contra o HPV é 80%, o que equivale a um total de 46,9 mil crianças e adolescentes na seguinte faixa etária: meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, com esquema vacinal de duas doses, com intervalo de seis meses.

A vacina HPV quadrivalente está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2014. “No que diz respeito à promoção da saúde e prevenção, a vacinação é a forma mais eficaz, pois pode prevenir contra o câncer de colo de útero, vulva, vagina, ânus, orofaringe e câncer de pênis. O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto”, explicou Fernando Virgolino.

Os adolescentes que tomaram a primeira dose da vacina contra o HPV precisam tomar a segunda dose para a efetiva prevenção. Além dos adolescentes, deverão ser imunizados pessoas de 9 a 26 anos que vivem com o vírus HIV, transplantados e pacientes oncológicos.

“Os principais vírus são combatidos com duas doses da vacina de HPV que estão disponíveis gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde. Por isso, orientamos e trabalhamos de forma preventiva nas escolas. Caso os pais e adolescentes queiram saber mais sobre a vacina e formas preventivas, podem procurar os profissionais das Unidades de Saúde da Família e Policlínicas da rede municipal”, comentou Fernando Virgolino.

Dados – De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o HPV é o principal responsável por 70%, em média, dos casos de câncer cervical entre as mulheres e, o único câncer prevenível por vacina. Só em 2018, o Instituto estima que devem ser registrados mais de 16,3 mil casos em todo o Brasil. Mais de 90% dos casos de câncer anal e 63% dos cânceres de pênis são atribuídos ao HPV, principalmente pelo subtipo 16.

Vírus – Nas meninas, o HPV pode levar ao câncer no colo do útero e, nos meninos, o vírus pode ocasionar o desenvolvimento do câncer de pênis. O HPV possui mais de 150 tipos que podem infectar a pele e as mucosas de homens e mulheres.

Sua principal forma de transmissão é pela via sexual. Alguns tipos do vírus provocam verrugas e pelo menos outros 13 tipos podem produzir lesões com potencial de progressão para o câncer.

Preservativo – o uso do preservativo (camisinha) masculino ou feminino nas relações sexuais é outra importante forma de prevenção do HPV. Contudo, seu uso, apesar de prevenir a maioria das infecções sexualmente transmissíveis, não impede totalmente a infecção pelo HPV, pois, frequentemente as lesões estão presentes em áreas não protegidas pela camisinha (vulva, região pubiana, perineal ou bolsa escrotal). A camisinha feminina, que cobre também a vulva, evita mais eficazmente o contágio se utilizada desde o início da relação sexual.

Calendário de Imunização:

Escolas públicas e privadas do Distrito I e II – 24.09 à 04.10.2018

Escolas públicas e privadas do Distrito III e IV – 08 à 19.10.2018

Escolas públicas e privadas do Distrito V – 15 à 26.10.2018