Secretaria de Saúde registra queda nos casos de dengue na Capital

Por - em 27

A Diretoria de Vigilância à Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou nesta quinta-feira (13) o mais recente boletim epidemiológico do município. De acordo com os dados apresentados, foi constatada uma queda de casos notificados. Foram registrados apenas 67 casos suspeitos, o menor número desde janeiro, deste ano. Nos meses de março a junho foram notificados mais de 400 casos confirmados de dengue.

Segundo o 13º informe epidemiológico mensal da dengue, foram registrados até o mês de setembro 2.461 casos confirmados de dengue clássica, 46 casos de dengue com complicação e 43 casos de febre hemorrágica da dengue (FHD), totalizando 2.550 casos confirmados. Sete casos de FHD seguem em investigação e quatro óbitos confirmados.

Talita Tavares, diretora de Vigilância à Saúde, destacou que apesar da diminuição no número de casos, o município está organizando ações para se preparar para o combate ao mosquito no verão deste ano e em 2012. Em novembro já está programada a realização de uma Oficina de Planejamento com toda a rede de saúde do município, atores e instituições parceiras na execução do Plano de Contingência da Dengue em 2012. “Foi dessa forma que trabalhamos em 2010 e tivemos boas respostas junto a Gerência de Medicamento, Secretaria de Educação, Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Emlur, Distritos Sanitários e os Núcleos de Vigilância Epidemiológica dos Hospitais”, assinalou Talita.

A diretora ressaltou que também deve ser considerado que no verão a combinação de calor intenso e chuvas esparsas favorecem a proliferação do Aedes aegypti, aumentando o risco de transmissão da doença, mas destacou a importância da preparação da gestão no combate à doença. “A elaboração e execução do Plano de Contingência da dengue é um mecanismo adotado por essa gestão há vários anos e vem surtindo um efeito esperado anualmente, evitando assim a efetivação de epidemias”, declarou.

A diretoria da DVS destacou que, para 2012, “deveremos trabalhar com um planejamento objetivando ampliar o número de ciclos realizados pelos agentes de vigilância ambiental, fortalecer a rede assistencial potencializando os espaços para diagnóstico e tratamento da doença. Teremos também como proposta Qualificação da Rede Assistencial em fevereiro, com a distribuição dos Manuais e materiais necessários para o acompanhamento do usuário na rede de saúde”, afirmou Talita.