Secretários e técnicos da PMJP se reúnem com equipe do BID para segundo dia de trabalho

Por Max Oliveira - em 499

Segue nesta terça-feira (7), a agenda de trabalho dos consultores do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) com técnicos e secretários da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). O objetivo é que até a próxima sexta-feira (10) sejam elaboradas uma série de ações para o cumprimento da missão de orientação do Plano de Ação João Pessoa Sustentável.

O plano, que é uma parceria entre a PMJP, o BID e a Caixa Econômica Federal (CEF), prevê um investimento na ordem de U$ 100 milhões, para que a Capital paraibana receba 60 ações relacionadas aos temas desigualdade urbana, uso do solo e ordenamento territorial, competitividade da economia, ações em gestão pública moderna, segurança cidadã, mudança climática e desastres naturais e mobilidade.

Os encontros acontecem nos turnos da manhã e tarde, na Estação das Artes, no Altiplano Cabo Branco, Centro Administrativo Municipal (CAM), em Água Fria, além da sede da Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres (SEPPM), no Paço Municipal – Centro. Durante a apresentação geral da missão, que aconteceu no auditório do Senac, na tarde desta segunda-feira (6), o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior, destacou a importância do projeto para a Capital.

“É um plano que vai preparar a cidade de João Pessoa para o futuro, para quando ela chegar a um milhão de habitantes possa estar bem planejada para os próximos 50 anos. Estamos recebendo 18 técnicos do BID para trabalhar com a nossa equipe multidisciplinar, que vai pensar em todos os projetos e programas, visando a qualidade de vida dos nossos cidadãos”, afirmou.

João Pessoa conseguiu aderir ao projeto em 2014, quando teve a carta consulta aprovada pelo Governo Federal. Desde então a cidade vem passando por uma série de missões realizadas por especialistas do BID com uma equipe local. Esta é a última etapa e a expectativa é que em abril o BID faça a avaliação final dos trabalhos que vêm sendo realizados, para que o convênio para a liberação dos recursos possa ser assinado entre julho ou agosto.

“Nós estamos aqui porque vocês conseguiram entrar com uma carta consulta junto ao Governo Federal e o projeto recebeu uma recomendação do Ministério do Planejamento. Então, todo agente público que quer um acordo de empréstimo com o BID tem que passar primeiro por esta carta consulta, onde ele coloca o valor do financiamento e as ações que serão colocadas em prática. João Pessoa já passou e agora é realizar a missão de trabalho para a conclusão do projeto”, destacou a chefe de Missão do BID, Márcia Casseb.