Sedec realiza encontro de articulação de líderes estudantis próximo sábado

Por - em 17

O programa Protagonismo Infanto-Juvenil, ação executada pela Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), dá continuidade às suas atividades e realiza neste sábado (20) o ‘1º Encontro de Articulação do Protagonismo Juvenil’. Estarão reunidos, a partir das 8h30, na Escola Municipal Ana Cristina (Aldeia SOS), cerca de 200 alunos representantes de turmas das escolas dos Pólos 1 e 4.

O Encontro tem como objetivo aumentar o entrosamento entre os representantes de turmas das escolas municipais e, a partir daí, tornar real o processo de articulação política entre os alunos, os professores, diretores e a Sedec.

Atividades – Na programação os alunos irão inicialmente expor as experiências já vividas em suas escolas como protagonistas. Em seguida, participarão de um debate sobre o tema ‘O que é ser um representante de turma e articulador’. Depois da etapa de exposição e discussão das atividades já realizadas pelo Protagonismo Infanto-Juvenil, os participantes irão levantar propostas para novas formas de articulação dentro de cada escola.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Inclusão/Protagonismo responsável pelo projeto, Maria José dos Santos, os encontros de articulação têm o intuito de promover o suporte por parte da Secretaria para a organização dos alunos que atuam como representantes dentro das escolas da rede municipal.

“Os encontros irão acontecer entre todas as unidades de ensino. Inicialmente, vão ocorrer nas escolas dos Pólos 1 e 4, mas com o decorrer de atividades, em cada Pólo será realizado um encontro neste formato”, informou a coordenadora.

O programa é uma iniciativa da Sedec por seu Núcleo de Inclusão/Protagonismo e a proposta é fazer com que os alunos da rede pública redescubram a importância de participar ativamente do movimento estudantil. O Protagonismo Infanto-Juvenil também objetiva desenvolver nos alunos a visão e o pensamento críticos sobre temas e problemas que são mais corriqueiros no dia-a-dia da comunidade escolar, como estrutura física, drogas e violência e possam participar das decisões sobre uma realidade que eles vivem cotidianamente.