Segunda e terceira etapas do processo seletivo para o Curso de Doulas acontece nesta quarta e quinta-feira

Por Mônica Melo - em 630

A segunda e terceira etapas do processo seletivo para o ingresso no Curso de Doulas Comunitárias Voluntárias e Educadora Perinatal, acontece nesta quarta e quinta-feira (4 e 5) no Bloco Administrativo do Instituto Cândida Vargas (ICV). O curso é oferecido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres.

A etapa consiste na realização de entrevistas em grupo e individuais e tem caráter classificatório. As candidatas estão sendo informadas por telefone sobre os dias e horários, mas a entrevista é realizada por ordem de chegada. Pela manhã, elas acontecerão das 9h às 12h e à tarde das 13h às 16h. O resultado será divulgado no próximo dia 10.

As candidatas foram selecionadas para a segunda e terceira etapas segundo o critério de disponibilidade. Ao longo dos dois dias serão entrevistadas 90 candidatas que concorrem a 30 vagas de Prestação de Serviço Voluntário. As entrevistas serão realizadas por três equipes, cada uma composta por um membro da Secretaria das Mulheres, outro do ICV e um da Associação de Doulas da Paraíba.

Encerrada a terceira etapa de classificação, será publicada a lista final das candidatas selecionadas. A solenidade de abertura do curso acontece no próximo dia 19 e as aulas no dia 21. A carga horária total do curso deverá ter o mínimo de 212 (duzentas e doze) horas.

Segundo a secretária de Políticas Públicas para Mulheres, Adriana Urquiza, desde 2015, uma lei municipal garante a permanência das doulas nas maternidades públicas e privadas de João Pessoa.

A secretária explica que a doula oferece um suporte emocional, físico e informativo durante um período de intensas transformações que a mulher está vivenciando. “No parto e nos primeiros momentos de vida do bebê a mulher se sente muito vulnerável e as doulas chegam trazendo conforto e afeto necessário, além de informação. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde não só reconhecem como estimulam a presença das doulas durante o parto para aumentar a sensação de segurança e bem-estar da mãe e dos familiares”, justificou a secretária.