Seis e Meia: Max de Castro e Pádua Belmont, na quarta

Por - em 44

O Projeto Seis e Meia do mês de junho termina na quarta-feira (18) em grande estilo, com a apresentação de um dos mais completos e conceituados músicos brasileiros da nova geração, Max de Castro, filho do saudoso Wilson Simonal. Cantor, compositor, guitarrista, arranjador e produtor, o artista conquistou platéias de vários países com seu talento, arrojo e criatividade. A abertura do evento será feita pelo cantor e compositor paraibano Pádua Belmont, cujo repertório mistura sua raiz nordestina com uma batida mais pop.

O evento é promovido pela Prefeitura de João Pessoa (PMJP) em parceria com a Accorde Produções e o apoio cultural do Ambassador Flat e restaurantes Dona Branca, Vila Cariri e Cia. do Chopp. Os shows acontecem às 18h30 na Praça de Eventos do MAG Shopping, na praia de Manaíra. Os ingressos custam R$ 16,00 e R$ 8,00 e podem ser comprados antecipadamente ou na hora do evento no posto de venda montado ao lado da bilheteria dos cinemas, no primeiro piso do MAG. Mais informações pelo telefone 9134-7610.

Max de Castro
– Guitarrista, produtor, compositor e cantor, Max une a modernidade às raízes sólidas da música brasileira. Começou sua carreira formando na adolescência a banda ‘Confraria’ com Pedro Mariano e Daniel Carlomagno, disputando e ganhando vários festivais. Depois, participou do programa radiofônico ‘Cia. da Música’ que ficou por dois anos no ar. Trabalhou como arranjador e compositor no disco João Marcello Bôscoli e Pedro Camargo Mariano e se firmou como produtor musical de artistas como Thalma de Freitas, Klébi, Patrícia Marx e Cláudio Zoli, tendo ainda composto a trilha sonora da peça ‘Opus Profundo’, dirigida pelo festejado Dionísio Neto.

Durante os anos de 1998 e 1999 integrou o projeto ‘Artistas Reunidos’, que uniu no palco do conceituado ‘Supremo Musical’ seis novos artistas Jairzinho Oliveira, Daniel Carlomagno, Luciana Mello, Max de Castro, Pedro Mariano e Wilson Simoninha, além de convidados de peso como Djavan, Jair Rodrigues, César Camargo Mariano, Cláudio Zoli, Netinho (Negritude Jr.) e Otto, numa bem sucedida temporada.

Em 2000, lançou pelo selo ‘Trama’ o CD ‘Samba Raro’, álbum que foi produzido, arranjado, tocado e composto por ele. O CD teve boa receptividade de público e crítica. Ed Motta, amigo de Max, classificou o disco como ‘genial’. O artista ainda tem mais três discos gravados com os quais conquistou o mundo com seu talento e voz firme. Nos Seis e Meia vai brindar o público com as melhores músicas de seu repertório.

Pádua Belmont – Natural de Bayeux, Pádua é músico, compositor e produtor cultural. Participou com destaque de vários festivais e também de shows de nomes importantes da MPB, a exemplo de Paulo Diniz e Renato Borguetti. Foi um dos fundadores do ‘Musiclube da Paraíba’ e participou de vários projetos como ‘Tocar por Prazer’, ‘Fala Bairros’, ‘Sessão das Sete’, ‘Vento de Maio’, ‘Projeto Boca da Noite’, ‘Pixinguinha’ e ‘Araponga’.

Tem quatro discos solos gravados, além da participação em algumas coletâneas. Ano passado gravou o disco ‘Retorno’ que está em fase de lançamento. O novo trabalho tem canções regionais e composições em parceria com Lúcio Lins, Valdício Mariano, Kennedy Costa, Linaldo Guedes, Francisco Bispo, Zilma Ferreira Pinto, Orraneis Padilha e Totonho. No Seis e Meia Pádua Belmont vai fazer uma mostra de sua trajetória e será acompanhado por Léo Melo (guitarra), Flávio Chianca (baixo), Júnior Matos (teclado) e Tony (bateria).