Semana cultural lembra os 77 anos da morte da professora Anayde Beiriz

Por - em 19

Em homenagem aos 77 anos da morte da paraibana Anayde Beiriz, a Escola Municipal, que leva o nome da professora e poetisa, localizada no loteamento Cidade Verde, no Bairro das Indústrias, realiza entre os dias 24 e 26 deste mês, a ‘I Semana de Arte e Cultura Anayde Beiriz’. A programação é resultado do trabalho realizado durante todo ano sobre a vida e obra da personalidade, envolveu os 950 alunos da escola e reúne exposições, palestras, debates, mostra de vídeos e apresentações de cordel encenado e grupos de dança e teatro.

“Queremos reforçar nos nossos alunos a imagem positiva de Anayde, levando eles a conhecerem quem foi essa mulher lutadora e engajada, professora pioneira do ensino de jovens e adultos, além de transgressora nos direitos das mulheres. Para isso achamos importante que as atividades não se restringisse a uma semana, mas sim a uma série de estudos preparatórios”, explicou a diretora da Anayde Beiriz, Sílvia Patriota.

A programação da Semana de Cultura e Arte teve início na manhã desta quarta-feira com trabalhos temáticos, como exposições, diálogos e estudos sobre a autora paraibana, que tiveram continuidade no período da tarde. As atividades no período da noite começam às 19h com a mostra do vídeo ‘Anayde – uma mulher independente, produzido em 1998 pela jornalista Mabel Dias, seguida da abertura da exposição ‘Anayde, viva no sempre, fábula menina’, organizada pelo escritor e médico Marcus Aranha, além da palestra de abertura com o jornalista Walter Galvão.

No dia 25, a escola abrirá suas portas para toda a comunidade prestigiar a exposição com a história e obra de Anayde, como também os trabalhos realizados pelos alunos. Às 10h, haverá uma palestra com a psicóloga e professora da UFPB, Ana Coutinho, que apresentará uma explanação sobre a vida da escritora. Logo após a palestra, às 11h, será apresentado o cordel encenado sobre a vida e obra de Anayde Beiriz, escrito pelo poeta Marco Di Aurélio e organizado pela professora de música Socorro Marques. No período da tarde, a partir das 15h, o grupo de teatro Tharcilla Barbosa realiza uma apresentação teatral sobre a vida da homenageada.

No encerramento da I Semana de Arte e Cultura Anayde Beiriz, no dia 26, haverá a reapresentação do vídeo Anayde – Uma mulher independente, às 10h30, e do cordel encenado, em dois horários: 16h e 19h. As atividades continuam às 20h, com a apresentação do grupo de danças da escola, que irá apresentar a coreografia ‘Fox Trot’. Na ocasião, às 20h30, haverá a inauguração da Biblioteca Ariano Suassuna.

Quem foi – A professora Anayde Beiriz nasceu em 18 de fevereiro de 1905, em João Pessoa. Diplomou-se pela Escola Normal em 1922, com apenas 17 anos de idade, destacando-se como primeira aluna da turma. Além de normalistas era poeta e amante das artes. Logo que se formou passou a lecionar na Colônia de Pescadores, em Cabedelo.

Em 1925 ganhou um concurso de beleza. Circulava também nos meios intelectuais, onde declarava-se publicamente a favor da liberdade e da autonomia feminina. Após João Dantas ter assassinado João Pessoa, Anayde foi perseguida e difamada, o que a obrigou a se refugiar no Recife. Devido a várias pressões, Anayde ingere veneno e morre no dia 22 de outubro de 1930.