Seminário ensina professores a usar cordel nas escolas de JP

Por - em 23

Os professores da rede municipal continuam sendo incentivados a utilizar a literatura em cordel na sala de aula. A partir dessa quarta-feria (16), a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) realiza o VI Seminário Literatura de Cordel. O evento é uma iniciativa da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) e acontece nos dois turnos, das 08h às 11h30 e das 13h às 17h no Centro de Capacitação de Professores (Cecapro), localizado na Avenida Beira Rio.

Professores de 35 escolas da rede municipal de ensino, contempladas com o Projeto Cordel na Sala de Aula, estarão participando do seminário que tem como objetivo estimular a apreciação de folhetos de cordel em sala de aula; discutir métodos de abordagem do cordel no ensino fundamental e estudar folhetos cujos temas sejam adequados a faixa etária dos alunos.

“Este é o 6º ano consecutivo que a Sedec promove um evento como esse que tem como foco formar o professor para que esse saiba utilizar a leitura da literatura de cordel em sala de aula. O projeto aproxima o aluno e a escola de uma cultura que é dele e que se mantém distante”, enfatiza Laura Mauricio, Coordenadora do Projeto Cordel na sala de aula.

Ministrado pelo professor Doutor em Literatura, Hélder Pinheiro o seminário vai realizar oficinas de leitura e apontar sugestões metodológicas de forma a trabalhar a literatura de cordel na sala de aula.

Entre os assuntos discutidos estão: abordagem comparativa entre os cordéis que falam das viagens imaginárias com as poesias de viagens de Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira; Recontar em forma de cordel as fabulas e os contos; Mostrar o cordel teatralizado e Discutir alguns problemas da presença do cordel em livros didáticos.

Cordel na sala de aula: O Projeto é realizado desde 2007 em 35 escolas da rede municipal de ensino, abrangendo o Ensino Fundamental I e II e Ensino de Jovens e Adultos (EJA). O objetivo da ação é incentivar o hábito de leitura do cordel dentro das atividades transdisciplinares de cada escola, entendendo esse gênero literário como instrumento pedagógico, principalmente por ser um identificador da verdadeira cultura nordestina.