Seminário sobre Cordel e Xilogravura vai reunir 200 professores

Por - em 21

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por sua Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), realiza nas manhãs desta quarta (2) e sexta-feira (4) o ‘II Seminário de Literatura de Cordel e Xilogravura’. A atividade acontece a partir das 7h30, no Centro de Capacitação dos Professores (Cecapro), localizado na Avenida Epitácio Pessoa. Cerca de 200 professores das disciplinas de artes e português da Rede Municipal de Ensino estarão presentes.

Esta ação foi planejada pela coordenação do Projeto Cordel na Sala de Aula, com o objetivo de aprofundar o conhecimento dos professores que atendem às unidades de ensino municipais na literatura de cordel e na xilogravura.

“O Seminário de Cordel e Xilogravura pretende fazer com que os professores conheçam e valorizem essas expressões artísticas e se atualizem nas mais diversas formas de utilização da temática, para que os alunos tenham total conhecimento sobre o assunto”, explicou a professora Maria Laura de Albuquerque, coordenadora do projeto Cordel na Sala de Aula.

Programação – O Seminário começa às 7h30 com a apresentação do projeto Cordel na Sala de Aula pela professora Maria Laura de Albuquerque. Em seguida, haverá a participação do poeta popular Marco di Aurélio, que fará um recital de cordéis de sua autoria e de famosos cordelistas do país. A programação segue com a exibição de um vídeo sobre a literatura de cordel e a xilogravura na Paraíba.

Às 8h45 será aberto um espaço para os relatos das experiências vividas durante o projeto Cordel na Sala de Aula no ano de 2007. Encerrando a primeira manhã do Seminário, será realizado o ‘Dialogando o Cordel’, oportunidade em que os participantes discutirão a temática com a professora doutora Beliza Áurea de Arruda Melo.

Na sexta-feira (4), as atividades terão início também às 7h30. A apresentação do cordel ficará por conta do poeta popular Beto Brito. Participantes do projeto Cordel na Sala de aula se apresentarão logo em após, com apresentações de vídeos e relatos de experiências já vividas dentro do projeto. A última atividade do Seminário será uma oficina de xilogravura ministrada por José Altino.

Literatura de Cordel
– Recebem o nome de Literatura de Cordel as obras que são produzidas pelo povo. Essas obras não produzem nível artístico, mas sim muita difusão popular da arte folclórica. Nessa manifestação o povo canta os costumes, as crenças ou personagens (reais e imaginárias). No Nordeste, os exemplares têm a tiragem mínima de 500 mil cópias e são vendidos nas feiras populares.

Nas escolas municipais de João Pessoa, essa vertente da literatura começou a ser utilizada dentre e fora das salas de aula por meio do projeto Cordel na Sala de Aula, cujo objetivo é utilizar a literatura de cordel como instrumento pedagógico dentro das escolas da rede municipal de ensino.

A interação entre escola e comunidade é um ponto forte do projeto, que busca talentos junto aos alunos para demonstrar a existência dessas manifestações bem próximas e a importância da sua valorização. Dentro das atividades realizadas pelo projeto, os alunos são levados a conhecerem o universo do cordel, estudando trabalhos de cordelistas tradicionais e os da própria comunidade.