Sensibilidade e a música latina animam a última noite do Música do Mundo

Por - em 41

O encerramento do festival ‘Música do Mundo’ aconteceu nesta terça-feira (05), com shows da ‘Camerata Arte Mulher’ e ‘Grupo Tarancón. A noite refletiu o clima vivenciado pela Capital durante todo o evento, que teve início na última sexta-feira (26), trazendo ao palco instalado entre as praias de Cabo Branco e Tambaú uma refinada programação da música instrumental brasileira.

A sensibilidade feminina marcou o começo da noite, com a bela apresentação da ‘Camerata Arte Mulher’, que trouxe ao público uma mistura da música erudita e popular. Músicas como ‘Camerata de Tchaikovsky’ e ‘Maria, Maria’, de Milton Nascimento, ganharam um tom especial.

O grupo também mostrou em seu repertório, composições paraibanas como ‘Ponta do Seixas’ e ‘Kukukaia’, de Cátia de França, e ‘Feira de Mangaio’, do saudoso Mestre Sivuca. O show, que contou ainda com uma performance da atriz Petra Ramalho, foi encerrado com um dos hinos da música nordestina, o ‘Xote das Meninas’, de Luiz Gonzaga.

A segunda atração da noite emocionou o público. O show ‘Tarancón 35 anos’, que fez um verdadeiro passeio na história do grupo, mostrando ainda a beleza da musicalidade latino-americana, com composições da Bolívia, Chile, Brasil, Peru e Argentina.

O festival ’Música do Mundo apresentou ao grande público presente em todas as noites, na estrutura montada na orla marítima, a ‘Orquestra de Violões’, ‘Banda Aguaúna’, ‘Banda 5 de Agosto’, ‘Léo Meira’, ‘Paraibass’, ‘Grupo Uirapuru’, ‘Vinicius Lucena’, ‘Grupo de Percussão do Nordeste’, ‘Grupo Oitavando’, ‘Camerata Arte Mulher’ e ‘Taracón’.

A segurança foi um dos pontos de destaque do festival, que contou com o apoio de diferentes órgãos de segurança, o que deu maior tranqüilidade ao público que prestigiou as apresentações.

O Prefeito Ricardo Coutinho avalia essa a iniciativa. “O Música do Mundo é um evento já consolidado pelas pessoas, que se reconhecem numa proposta que traz a universalidade da música mais do que só nas letras, mas ainda nas belas melodias que a música instrumental proporciona, além de ter tudo a ver com o período natalino e inicio de janeiro, constituindo-se como um evento artístico que tem uma resposta muito calorosa por parte dos moradores da cidade e dos visitantes”.

Ricardo Coutinho falou ainda da continuidade das ações culturais a serem desenvolvidas no mandato que se inicia em 1° de janeiro. “Vamos revisitar aquilo que fizemos e deu certo, modificando o que for necessário e ainda incorporando novas ações, com a perspectiva de aproximar a política cultural mais ainda, das populações mais carentes, no local onde elas moram, dando outras atribuições aos equipamentos culturais, a exemplo da Orquestra de Câmara, objetivando cada vez mais, potencializar a cena cultural da capital. Outro projeto a ser ampliado é o Circuito das Praças, pois temos três novas praças em fase de conclusão, que precisam ser ocupadas, nos bairros do Alto do Mateus, Rangel e Gervásio Maia”.

Já o cantor, violonista e percussionista do Grupo Tarancón, Enan Racan, revela que “foi uma surpresa muito grande o convite, pois fazia mais de dez anos que tínhamos nos apresentado na Paraíba. O show foi feito com o maior carinho, foi emocionante, a Prefeitura de João Pessoa está de parabéns”.

A estudante Isabel Pontes mostra a sua satisfação com o evento. “A gente quase não ouve a música instrumental tocar no rádio, então este é um espaço primordial, que mostra ao público o que há de bom nesta vertente musical”.